sexta-feira, 28 de março de 2014

Especial - Os Melhores Filmes de 2013


Como todo começo de ano, aqui no Cinemateca, venho postar meu TOP 20 dos melhores filmes do ano que passou, neste caso, 2013. Para muitos, provavelmente não serão realmente os melhores, expresso aqui apenas minha opinião, e sei que ela difere da de muitas pessoas, portanto, deixo um espaço para que comentem, critiquem, deem sugestões e claro, façam suas listas também. O que faço neste TOP 20 é apenas citar aqueles filmes que de alguma forma me marcaram, e que pra mim, foram os melhores, ainda que, confesso, tenha sido muito difícil selecionar apenas vinte, muitos filmes bons ficaram de fora. Por isso, antes de mais nada, para relembrar as obras que passaram por 2013, faço uma breve retrospectiva. 

sexta-feira, 21 de março de 2014

Especial Cinemateca - Os Destaques de 2013


por Fernando Labanca

Passado os primeiros meses do ano e toda a agitação das grandes premiações do cinema, posto aqui, para oficialmente finalizar 2013, os destaques do último ano. Separando em categorias, foi a maneira que encontrei para lembrar e colocar em evidência as coisas boas que tivemos nos cinemas ano passado, uma retrospectiva, é também uma forma de colocar em destaque aquelas obras que são ótimas mas sempre ficam de fora das premiações importantes. É sempre bom deixar claro, tudo isso é apenas minha opinião, mas deixo um espaço e sintam-se a vontade para comentar o que acharam que faltou nas listas, com sugestões e críticas. 

Foram muitos filmes selecionados, portanto, alguns acabaram ficando de fora. Lembrando que citei apenas aqueles que foram lançados no ano de 2013 aqui no Brasil, independente do ano em que foram lançados no país de origem. Em breve, postarei o tradicional TOP 20 com os "Melhores Filmes de 2013".

Vamos aos destaques do ano...

sexta-feira, 14 de março de 2014

Crítica: Nebraska (2013)

Um dos indicados a Melhor Filme no último Oscar, Nebraska entra para o grupo dos mais surpreendentes, daquele que não esperamos nada e de repente estamos ali, diante de algo tão único, tão difícil de ser esquecido.

por Fernando Labanca

A história é bem simples. Woody (Bruce Dern) é um idoso que certo dia recebe em sua casa um daqueles folhetos de propaganda enganosa, dizendo que ele havia ganhado 1 milhão. Inocente, ele decide ir a pé até a cidade de Lincoln, em Nebraska, para buscar seu "prêmio". Percebendo que a teimosia do pai o impediria de ver que tudo isso é uma grande mentira, o filho mais novo, David (Will Forte) decide embarcar em sua fantasia e levá-lo de carro até o local. Porém, no meio do caminho, após Woody sofrer um pequeno acidente, eles pousam na casa de alguns tios e primos, é então que esses parentes descobrem sobre o dinheiro, despertando a cobiça não só deles, mas do resto dos habitantes daquela pequena cidade.

A verdade é que eu realmente não esperava nada deste filme, até então, apenas "mais um indicado ao Oscar". Dirigido por Alexander Payne, tão bajulado pela Academia há dois anos atrás pelo fraco e superestimado "Os Descendentes". Confesso que ainda assim sempre acreditei em seu talento, já que realizou alguns bons trabalhos como "As Confissões de Schimidt" e o ótimo "Sideways- Entre Umas e Outras". Pois bem, "Nebraska" é, de longe, sua melhor obra. Tive a certeza disso no instante em que comecei a vê-lo e ao seu término, senti que mais do que ver o melhor trabalho deste grande diretor, vi um dos melhores que o Oscar revelou este ano - talvez, nos últimos anos também - um filme marcante, que provavelmente lembrarei daqui muito tempo.


terça-feira, 11 de março de 2014

Crítica: Trapaça (American Hustle, 2013)

David O. Russell é um diretor que tem ganhado fama nos últimos anos devido às importantes premiações do cinema. Com "O Vencedor", "O Lado Bom da Vida" e agora com "Trapaça", ele coleciona indicações, o que de certa forma, acaba afetando negativamente suas obras, pois ao vê-las é nítido o quão longe elas estão de serem dignas de tais prêmios, ainda que eu admire e muito os dois primeiros filmes. Logo, O. Russell é um cineasta superestimado e este repentino (e injusto) sucesso lhe fez aos poucos perder sua identidade, aqui forjando ser um Martin Scorsese ou um Paul Thomas Anderson, entretanto, sem jamais ter a coragem e competência desses grandes diretores. "Trapaça" é a prova deste seu desequilíbrio, de sua falta de consistência e coerência, de que ele se perdeu em algum lugar para provar não sei o quê. 

por Fernando Labanca

Nos anos 70, o malandro Irving (Christian Bale), juntamente com sua amante e parceira de suas trapaças, Sydney (Amy Adams), é obrigado a trabalhar para o FBI em uma inusitada missão que tem como intuito flagrar ações ilegais de congressistas norte-americanos. Quem lidera essa missão é o agente Richie DiMaso (Bradley Cooper), que logo se apaixona por Sydney, sem jamais desconfiar dos segredos que ela esconde. E neste jogo de mentiras e enganações, Irving ainda precisa lidar com sua esposa, Rosalyn (Jennifer Lawrence), que mesmo distante dos planos poderá pôr tudo a perder.


sexta-feira, 7 de março de 2014

Crítica: Ela (Her, 2013)


Vencedor do Oscar 2014 de Melhor Roteiro Original, "Ela" trás aos cinemas uma das histórias mais inusitadas que tivemos a oportunidade de ver nos últimos anos. Escrito e dirigido por Spike Jonze, que prova ser um dos cineastas mais competentes e mais criativos da atualidade, que tem o dom de lançar uma obra-prima a cada nova estreia. Vemos aqui, um filme extremamente inteligente, tocante e memorável.

por Fernando Labanca

Em um futuro não muito distante, conhecemos o solitário Theodore (Joaquin Phoenix), um escritor que ainda deprimido e inconformado por sua separação, passa suas horas no trabalho e o restante jogando video-game em seu apartamento, preso nas lembranças que tem de sua ex-mulher (Rooney Mara), a mulher que acreditava ser a certa para ele. Até que curioso por um novo lançamento no mercado, Theodore instala em seu computador um sistema operacional bastante instigante e que parece resolver sua solidão, uma inteligência artificial que conversa com seu usuário, que evolui a cada novo diálogo, que é capaz de amar. É assim que ele conhece Samantha (Scarlett Johansson), a única que parece compreender suas falhas, que faz ele dizer o que sente, se sentir acolhido, a única por quem ele consegue finalmente se apaixonar. 



quarta-feira, 5 de março de 2014

Oscar 2014 - Os Vencedores


por Fernando Labanca

Ocorreu neste último domingo (2/03) a cerimônia do Oscar, apresentado por Ellen DeGeneres. Estou um pouco atrasado com o texto, mas depois deste feriado prolongado volto a escrever e contar o que achei da apresentação e dos vencedores deste ano.