sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Crítica: De Repente Pai (Delivery Man, 2013)

Vemos aqui, Ken Scott dirigindo o remake de seu próprio filme, o canadense "Meus 533 Filhos" de 2011. Sou extremamente contra à essas refilmagens de filmes recentes, não sou muito fã de comédias com Vince Vaughn, pelo simples motivo dele sempre fazer o mesmo papel, não fui com a cara deste poster nem de seu título, com mais uma tradução nacional patética. O que me fez querer escrever sobre a obra? Ela pegou todos esses meus preconceitos e ao seu final, me provou o quão errado eu estava. Enfim, por trás de tudo isso que escrevi acima, encontrei algo que me surpreendeu, um filme que é exatamente o que não perece ser...bom.

por Fernando Labanca

Conhecemos David Wozniak (Vaughn), um cara comum que trabalha como entregador de carnes, que sempre se esforçou para ter uma vida boa com uma graninha extra, por isso, chegou a realizar coisas bizarras como quando, anos atrás, doou esperma para uma clínica de fertilização. O grande problema começa quando lhe chega a informação de que gerou a vida de 533 pessoas, onde dezenas delas, já crescidas, decidem que enfim querem conhecer o tal pai biológico. Com a ajuda de seu amigo e advogado Brett (Chris Pratt), David entra na justiça para que sua imagem continue em sigilo, no entanto, ao receber a notícia de que sua namorada (Cobie Smulders) estava grávida, encontra em si, este desejo de ser pai, é então que passa a entrar em contato com alguns desses seus filhos, sem que eles saibam a verdade, conhecendo suas personalidades e procurando preencher algum vazio que a vida tenha lhes deixado.


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Especial - Os atores mais promissores da atualidade


Há alguns anos atrás fiz um post aqui no blog sobre as "novas faces de Hollywood", resolvi dar uma retomada no tema e fazer uma lista sobre essa nova geração de atores que tem surgido, talentos promissores que merecem algumas apostas. Alguns já atuam há um bom tempo, mas apenas agora tiverem um grande destaque, outros são apenas nomes que pelo que tenho analisado tem tudo para se manterem, seja pelos bons filmes que fizeram, seja pelos projetos futuros.

por Fernando Labanca

Com vocês, (ao meu ver) os atores mais promissores da atualidade...

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Crítica: Um Estranho no Ninho (One Flew Over the Cuckoo's Nest, 1975)

Mais um para a sessão "filmes que não sei porque não vi antes", "Um Estranho no Ninho" é, com certeza, um clássico, uma obra fantástica, atemporal, que sobreviveu durante todos esses anos e tem potencial para se manter na memória daqueles que assistem. Venceu o Oscar por Melhor Filme, Diretor, Ator, Atriz e Roteiro Adaptado. 

por Fernando Labanca

Baseado no livro de Ken Kesey e produzido pelo ator Michael Douglas, o longa nos apresenta Randle McMurphy (Jack Nicholson), um cara preguiçoso e que devido a alguns surtos de agressão, é retirado da prisão, da qual já havia passado várias outras vezes, para ser tratado e observado em um sanatório. Ciente de que não possui problemas mentais, McMurphy passa a usar o local para desfrutar de sua liberdade, ser o louco que eles procuram, além de incentivar e persuadir seus colegas internos a ir contra à ordem vigente, questionar os medicamentos e a rotina que levam ali dentro. No entanto, seus atos revolucionários se chocam com o pensamento conservador da enfermeira Mildred Ratched (Louise Fletcher), que não pretende facilitar a jornada de McMurphy no local.