segunda-feira, 11 de junho de 2012

Os Melhores da Década - Ideias Criativas


2012 chegou, o fim do mundo está por vir. Nada melhor que continuar o especial que comecei ano passado, relembrando o que houve de melhor na última década (2001-2010). Antes que tudo acabe, é válido homenagear o que vimos de bom nos anos que passaram.

A postagem da vez é sobre as grandes ideias que foram mostradas no cinema. Não necessariamente os melhores roteiros, isso, definitivamente, seria difícil avaliar. Mas serão citados aquelas ideias marcantes, que até hoje nos lembramos. Filmes criativos, que usaram da inteligência para criar algo novo, que apostaram em seu público, que nos fizeram pensar, refletir, ver de novo, compreender, refletir mais uma vez. Porque apesar de inúmeras bombas e inúmeros clichês que vimos nesses últimos dez anos, seria hipocrisia não admitir que de 2001 à 2010 o cinema presenciou verdadeiras obras-primas, com grandes pensamentos.

Como critério: inteligência, originalidade e criatividade. Seja pela ótima história, seja pela forma como o filme foi feito. Filmes que fugiram dos clichês e buscaram novas alternativas para impressionar seu público. Vamos ao Top 20...


20º. Como Se Fosse a Primeira Vez (50 First Dates, 2004)
roteiro de George Wing / EUA


Uma das comédias românticas mais interessantes dos últimos anos, isso, devido a sua ótima ideia. Hanry (Adam Sandler) que conhece Lucy (Drew Barrymore, adorável), mas descobre que ela sofre amnésia, e vive todos os dias como se fosse o mesmo, esquecendo todas as memórias recentes a cada vez que acorda. Logo, para ter a amada a seus braços, o guerreiro passa a reconquistar a moça todos os dias. Cada dia, um novo contexto, um novo momento, uma nova forma de amar. Apesar de ter o humor "Adam Sandler", a boa história do filme se destaca e num gênero que ousa pouco em criatividade, "Como se Fosse a Primeira Vez" acaba sendo uma grande exceção.



19º. Shrek (Shrek, 2001)
roteiro de Ted Elliott e Terry Rossio / EUA


Quando a animação "Shrek" chegou aos cinemas onze anos atrás, ninguém imaginava a grandeza deste projeto e o quanto ela seria importante e influente nesta década. Vemos pela primeira vez o ogro verde que é constantemente vitima de caçadores, que ao perceber que seu pântano estava habitado por criaturas mágicas, decide fazer um grande favor para um Lorde, buscar a princesa encantada, presa na torre mais alta do lugar mais longe. E com a ajuda do inseparável Burro, Shrek conhece Fiona e depois vemos aquela velha história que todos amamos e vimos mais de uma vez. Criatividade foi a palavra chave desta obra, que satiriza de forma inteligente e engraçada os contos de fadas e os insere numa trama cheia de boas ideias.



18º. Irreversível (Irréversible, 2002)
roteiro de Gaspar Noé / França


A história é simples, na verdade. O segredo deste polêmico filme francês está em sua montagem, mais precisamente, em seu roteiro bem diferente e muito bem desenvolvido. Isso por que o que vimos na tela não segue uma ordem cronológica correta, tudo ocorre exatamente de trás para frente, cena após cena. Vemos a trama de dois amigos (Vincent Cassel e Albert Dupontel) que saem pelas ruas em busca de vingança do estupro da namorada de um deles (Monica Bellucci), porém, só compreendemos isso após entrarmos na brincadeira criativa do roteiro. Surpreendente e muito interessante.



17º. Click (Click, 2005)
roteiro de Steve Koren, Mark O'Keefe / EUA


Pode não parecer, mas Adam Sandler já acertou em algumas escolhas em sua carreira. "Click" entra para a lista dos melhores trabalhos do ator, isso porque se trata de uma comédia que não se garante apenas no humor, mas encontra força no brilhante roteiro. Conhecemos o personagem Michael (Sandler) que descobre o poder de um controle remoto universal, onde passa a controlar toda sua vida, descobrindo seu passado, deixando em slow motion aquilo que gosta de desfrutar e acelerando os momentos que detesta, como as doenças e as brigas com sua esposa. Tudo complica quando o controle passa a repetir as ações mais acessadas e sua vida começa a passar como um flash diante de seus olhos, perdendo assim, os momentos ao lado de sua família, justamente aqueles em que era feliz e não sabia. Muito mais do que uma comédia, "Click" trás lições valiosas de forma bastante criativa e que surpreendentemente consegue emocionar em seu final.



16º. Minority Report - A Nova Lei (Minority Report, 2002)
roteiro de Scott Frank e Jon Cohen / EUA


Apesar de se tratar de uma adaptação do conto do mestre da ficção, Philip K.Dick, "Minority Report" tem grande importância na sétima arte, mais do que isso, o filme tem importância na evolução da tecnologia, pois serviu de referência a muito do que vimos hoje. O longa de Steven Spielberg é um marco no gênero, definiu o que seria feito a partir daquele momento na ficção ciêntífica. Somos apresentados ao futuro, onde é criado a divisão pré-crime na policia, setor que revela através de seres paranormais, os criminosos antes mesmo de cometerem tal crime. A ação surge quando o próprio chefe desta divisão (Tom Cruise) é dado como o próximo a ser punido por um assassinato. Assistimos, então, uma hipnotizante perseguição, ao mesmo tempo em que a ética deste programa passa a ser questionada, é justo punir alguém por um crime que ainda não cometeu? E se no futuro, a pessoa escolhesse não cometer tal ato criminoso? Inteligente e cheio de grandes ideias um tanto quanto revolucionárias, como as tão famosas telas transparentes que flutuam e são modificadas ao toque. Genial. Um dos bons momentos da carreira de Spielberg.



15º. Fale Com Ela (Hable Con Ella, 2002)
roteiro de Pedro Almodóvar / Espanha


Não poderia não citar Almodóvar nesta lista. Acredito que qualquer filme que o roteirista e diretor tenha feito nesta década merece destaque pelas grandes histórias. Porém, dentre seus trabalhos, destaco ainda mais o longa "Fale Com Ela", um drama delicado e bastante intenso, repleto de reviravoltas surpreendentes e uma trama que prende do começo ao fim. Vemos dois homens que tem suas vidas cruzadas em um hospital, um aguarda a recuperação de sua namorada do coma, o outro, aguarda a melhora de uma estranha do coma, no qual ele conversa como se ela o ouvisse, na estranha e obcecada espera de um futuro relacionamento.  E entre encontros pelos corredores, surge uma inusitada amizade entre eles. Não posso ir além disso, o filme de Almodóvar cresce a cada cena e quando chega a parte final já não mais respiramos. Belo, maravilhoso e memorável.



14º. O Grande Truque (The Prestige, 2006)
roteiro de Jonathan Nolan e Christopher Nolan / EUA, Reino Unido


Mais um roteiro adaptado na lista. Sinceramente, não queria citá-los, a princípio, mas seria muito injusto não citar determinados trabalhos e não poderia discutir sobre grandes ideias desta década sem citar filme como "O Grande Truque". Primeiro, porque ele foi dirigido por ninguém mais que Christopher Nolan. Segundo, porque mesmo se tratando de uma adaptação de um romance, no cinema, a obra parece ganhar vida própria, com ideias tão inteligentes e criativas que se tornam belas aos nossos olhos. Vemos dois mágicos (Hugh Jackman e Christian Bale), ex-companheiros de palco, que passam a buscar o sentido de suas vidas na disputa por descobrir o segredo um do outro, se tornando rivais num nível obsessivo. Os dois passam a elaborar planos inimagináveis, que misturam ilusionismo, traição e mentiras, numa trama que já não sabemos mais quem é o vilão e o mocinho. Perfeito. Um filme tão vibrante, visualmente impecável, com um excelente elenco e um roteiro brilhantemente bem desenvolvido.



13º. O Curioso Caso de Benjamin Button (The Curious Case of Benjamin Button, 2008)
 roteiro de Eric Roth / EUA


Mais uma adaptação. "Benjamin Button", dirigido pelo mestre David Fincher, se torna maior nas telas do cinema, o roteiro de Eric Roth transforma a simples história do velho que rejuvenescia numa obra tão completa, inesquecível, complexa e com ideias marcantes. Brad Pitt interpreta este senhor, nasceu com rugas e doenças e ao decorrer dos anos percebeu que ganhava vitalidade, se tornava jovem. Viu fatos históricos, conheceu pessoas, se apaixonou por elas, descobriu o que é viver como ninguém, descobriu e vivenciou a pior das dores, ser abandonado por aqueles a quem amava, conheceu a perda, a morte, conheceu o grande vilão de sua trajetória, o tempo. Tão grandioso e milagroso quanto a vida, tão belo e sensível como uma música ou um poema. Daqueles filmes que surgem de décadas em décadas, que são difíceis de serem julgados, difíceis de se chegar a alguma conclusão. Enfim, um dos melhores da década, um dos melhores de Fincher, um dos melhores roteiros realizado nos últimos anos.



12º. 21 Gramas (21 Grams, 2003)
roteiro de Guillermo Arriaga / EUA


Guillermo Arriaga é um dos grandes nomes do cinema atual, isso porque realizou filmes como "Amores Brutos" e "Babel", mas sua obra-prima, a meu ver, é o interessante e complexo "21 Gramas".  Vemos três histórias que se cruzam numa trama cheia de reviravoltas e surpresas, em um roteiro que não segue uma linha cronológica correta, onde aos poucos vamos montando um brilhante quebra-cabeça. Conhecemos as tramas de três pessoas comuns, uma recente viúva (Naomi Watts) que tenta lidar com morte de seu marido, Paul (Sean Penn) que está a espera de um coração novo e Jack (Benicio Del Toro), um ex-presidiário que vive atormentado por seu passado. A morte de um homem que acaba fazendo com que o destino deles se cruze. Vemos o quanto a morte afeta a vida de alguém, o quanto perdemos com ela, é então que surge a tão discutida pergunta...quanto vale a morte? Inteligente, bem realizado, roteiro cheio de detalhes que nos leva a um belo final.



11. Donnie Darko (Donnie Darko, 2001)
roteiro de Richard Kelly / EUA


Primeiro filme de Richard Kelly (A Caixa) , o filme de terror indie que conquistou os jovens nesta década, que conquistou a crítica e mesmo com pouquíssimo orçamento, se mostra uma das ficções ciêntíficas mais inovadoras desses últimos anos. Foi lançado diretamente em locadora aqui no Brasil, mas hoje é visto como cult. Conhecemos Donnie Darko (Jake Gyllenhaal), um jovem que tem sua vida salva por sua esquizofrenia, conversa com um coelho maléfico e também tem sonambulismo e devido a isso acorda certo dia longe de casa, neste mesmo dia, uma turbina de um avião cai dos céus e acerta seu quarto. Visto quase como um herói pelos outros, ele se apaixona por uma garota do colégio (Jena Malone) e passa a se interessar por viagens no tempo, ao mesmo tempo em que ele espalha o caos na cidade, sempre manipulado pelo coelho Frank. Original, criativo e complexo, que nos deixa pensando dias e dias a respeito, onde a cada vez que assistimos vemos um detalhe despercebido da vez anterior. Belo, memorável.



10. Mais Estranho Que a Ficção (Stranger Than Fiction, 2006)
roteiro de Zack Helm / EUA


Acredito que tenha sido uma das histórias mais inusitadas dentre todos da lista, vemos o dia-a-dia deste incrível personagem, Harold Crick (Will Farrell), um solitário homem que vive apenas de seu trabalho e sua rotina cronometrada, eis que passa a ter sua vida narrada por uma mulher (Emma Thompson), que revela seus pensamentos, suas ações futuras e tudo com certo primor de detalhes, fica confuso mas somente entra em desespero quando a narradora de sua história declara que no final ele morreria. Passa a ir atrás daquela que escreve sua jornada, mas antes precisaria descobrir que tipo de personagem ele era e do que se tratava sua vida, uma comédia ou um drama. Inovador, esplêndido, Zack Helm escreve algo completamente fora do comum e a experiência que temos é algo muito raro no cinema, ver uma obra completamente nova de ideias, situações, personagens e diálogos. Originalidade é a palavra que define este filme.



09º. Sinédoque, Nova York (Synecdoch, New York, 2008)
roteiro de Charlie Kaufman / EUA


A obra mais perturbadora do mestre do roteiro Charlie Kaufman, acredito que este filme tenha alcançado um nível de complexidade tão grande que poucos, ou talvez, nenhum outro roteiro tenha alcançado. Ele nos mostra o diretor de teatro Caden (Philip Seymour Hoffman), que é abandonado pela esposa e filha, sofre de uma doença rara e ao receber um dinheiro por sua aposentadoria e reconhecimento por toda sua obra, resolve ir para Nova York realizar mais uma peça, um texto criado por ele com um único intuito, compreender sua existência, onde atores são contratados para fazer sua esposa, sua amante, sua secretária e até mesmo ele, onde ele perde noção do tempo, do que é ético, do que é alcançável, constrói uma obra maior que sua própria vida, já não sabendo mais em que mundo vive e o que é real. Um filme tão intenso, forte, com diálogos memoráveis e cenas que vão muito além do imaginável. Milagroso. Genial.



08º. A Origem (Inception, 2010)
roteiro de Christopher Nolan / EUA


Obviamente não poderia deixar de citar o tão comentado filme de Christopher Nolan. Muito mais que os efeitos visuais e sonoros, a obra ganhou destaque principalmente por seu roteiro brilhante, inventivo. Cobb (Leonardo DiCaprio) é líder de uma equipe habilidosa que trabalha para grandes corporações afim de roubar ideias de empresas concorrentes e faz isso através dos sonhos, onde a mente está mais vulnerável, o problema que ele já havia perdido tudo em sua vida e ainda é perseguido devido a pequenas falhas em seu sistema, mas para se redimir e ficar livre ele precisa realizar um último grande trabalho, porém, dessa vez, ele precisa inserir uma nova ideia na mente de um jovem herdeiro de uma grande companhia e com sua equipe, eles constroem um sonho perfeitamente bem arquitetado e através de camadas de sonhos eles infiltram cada vez mais adentro da mente da vítima. Daqueles filmes que precisamos prestar atenção em cada detalhe, pois cada fala é necessária para a compreensão dos acontecimentos. Tudo muito bem realizado por Nolan, um roteiro que surpreende a cada cena. Incrível, um dos melhores da década.



07º. Vanilla Sky (Vanilla Sky, 2001)
roteiro de Cameron Crowe / EUA


Remake do filme espanhol "Preso na Escuridão" , "Vanilla Sky" é um caso raro onde a refilmagem consegue ser melhor que a obra original, onde pelo interessante e belíssimo roteiro de Cameron Crowe, ele consegue criar elementos e diálogos que fazem do filme algo ainda maior, mais poderoso, mais marcante e até mais criativo. David (Tom Cruise) é um milionário que vive a vida sem limites, até que se apaixona por Sofia (Penélope Cruz), mas acaba sofrendo um terrível acidente causado por sua enciumada  ex-amante (Cameron Diaz), deixando seu rosto completamente desfigurado. É quando ele perde a força de viver, perde espaço em sua empresa, perde o amor de Sofia. Eis que um dia ele acorda num sonho lúdico, onde tudo é perfeito, ele recupera tudo o que havia perdido, mas não demora muito até este sonho se tornar um pesadelo. Para muitos, confuso. Particularmente, não o acho. Tem um roteiro bem desenvolvido e tudo acontece de uma forma tão bela e tão envolvente. A história é genial, e chega ao ápice em seu final, não menos que épico.



06º. Efeito Borboleta (Butterfly Effect, 2004)
roteiro de Eric Bress e J.Mackye Gruber / EUA


Se por incrível que pareça a dupla de roteiristas já tenha participado de projetos como "Premonição" e todas as suas bizarras sequências, eles já tiveram seu momento "obra-prima" e foi em 2004 quando lançaram sem muitas pretensões "Efeito Borboleta" que tem caso parecido com o de Donnie Darko, lançado na locadora e acabou ficando famoso pelo boca-a-boca e hoje é cult. A história de Evan (Ashton Kutcher) que quando garoto tinha um estranho problema de memória e já crescido ele descobre a possibilidade de voltar no tempo através desses buracos criados em seus lembranças de infância e passa a usar isso para ficar com a garota que amava, mas a cada fato que alterava no passado, como consequência, alterava seu passado. Um filme pequeno mas que acaba tendo proporções gigantescas, onde passou a ser referência para inúmeras outras obras, mas que nenhuma conseguiu alcançar a inteligência e originalidade deste. Fantástico.



05º. Monstros S.A (Monsters, Inc., 2001)
roteiro de Pete Docter, Andrew Stanton e Jill Culton / EUA


Algumas animações lançadas nesta década foram sinônimo de originalidade, principalmente a "Disney Pixar" que acabou se destacando pelas grandes ideias, uma dessas obras lançadas foi a divertida animação "Monstros S.A", que teve, digamos, uma das histórias mais inteligentes e originais dos últimos anos. Nos é apresentado a esta Indústria, habitada por monstros, onde eles transformam os gritos das crianças em energia que abastece toda a cidade, e para conquistar esses gritos, a indústria disponibilizava portas, que serviam como portal onde o mundo dos monstros entrava em contato com o mundo dos humanos, mais especificamente, na porta do guarda-roupa das crianças. É neste mundo que conhecemos a dupla de amigos Sully e Mike e toda a divertida trajetória que eles enfrentam para salvar a adorável e eterna Boo. Genial. Tão inventivo, criativo e repleto de ótimas sacadas, que é capaz de entreter crianças e fazer os adultos pensarem. 



04º. Adeus, Lênin! (Good Bye, Lenin!, 2003)
roteiro de Wolfgang Becker e Bernd Lichtenberg / Alemanha


Um dos filmes alemães mais marcantes desta década, "Adeus, Lênin!" registra muito mais do que um bom momento do cinema europeu, mas também um momento onde a criatividade de brilhantes roteiristas entrega ao público uma obra tão completa, capaz de nos envolver com a trama, nos emocionar pelas ideias e nos encantar por sua originalidade. Quando a Alemanha ainda vivia separada por seus ideais, uma mulher devota ao socialismo sofre um ataque cardíaco ao ver seu revolucionário filho lutar nas ruas. O problema é que quando ela enfim acorda, o muro de Berlim já derrubado, mostrava uma nova cultura, onde o capitalismo invadia aquela sociedade e decidido a impedir que sua mãe visse os novos rumos daquele país, passa a forjar toda uma vida, escondendo propagandas, embalagens de produtos industriais e até mesmo criando programas de TV, tudo para fazer sua mãe acreditar que ainda vive na Alemanha socialista. Daqueles que temos vontade de levantar e bater palmas, tão complexo quanto emocionante, extremamente original.



03º. Amnésia (Memento, 2001)
roteiro de Christopher Nolan / EUA


Primeiro grande trabalho de Christopher Nolan, "Amnésia" conta a interessante trajetória de um homem (Guy Pearce) em busca de vingança do assassinato de sua esposa, o problema é que depois do ocorrido ele passa a sofrer de amnésia, esquecendo todas as informações recentes, passando a viver através de anotações e fotografias de cada dia, além de ficar refém das pessoas com que se encontra, jamais sabendo suas verdadeiras intenções. O roteiro narra os acontecimentos, exatamente, de trás para frente, onde vamos montando o complexo quebra-cabeça, onde para a compreensão da trama é necessário gravar na memória cada detalhe revelado. Difícil, confuso, entretanto, tão bem realizado e tão bem pensado que é sem sombra de dúvida uma das obras mais complexas e mais inteligentes dos últimos anos. Imperdível.



02º. Adaptação (Adaptation, 2002)
roteiro de Charlie Kaufman e Donald Kaufman / EUA



É sempre complicado definir os primeiros lugares, não significa que um é melhor que outro, as ordens são feitas por pura organização. "Adaptação" é talvez uma das coisas mais malucas que foram criadas nesta década, por isso merece destaque na lista. Talvez, não. Foi a obra mais maluca da década. Para deixar qualquer um confuso ao mesmo tempo em que nos deixa maravilhados com o resultado final, pois é de uma inteligência e originalidade extrema. Donald é o irmão gêmeo do roteirista Charlie Kaufman, aquele que foi indicado ao Oscar sem nunca ter existido e foi ele quem escreveu o filme. Pois bem, começando por um roteirista que nunca nasceu, conhecemos a história destes dois irmãos, ambos escrevem para Hollywood, porém Charlie (Nicolas Cage) passa por um momento de bloqueio criativo justo quando tinha em mãos a adaptação de um livro de flores, "O Ladrão de Orquídeas" da autora Susan Orleans. Sem saber o que fazer, ele decide realizar um filme autobiográfico sobre ele tentando fazer o filme, ao mesmo tempo em que conhecemos a história de Susan (Meryl Streep) ao lado do ladrão (Chris Cooper, vencedor do Oscar), com direitos a toques fantasiosos de Kaufman tentando romantizar a obra e tentando romantizar a própria vida. Onde nunca sabemos o que de fato aconteceu, o que de fato é loucura. Metafilmagem pura. Insano, que diverte pela grande ideia, que faz pensar e emocionar pelos belíssimos diálogos. Definitivamente, uma obra-prima. 



01º. Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004)
roteiro de Charlie Kaufman / EUA


Um dos roteiros mais incríveis da década, a história de Kaufman fez bonito e hoje, olhando para trás, não vejo como não dizer que o filme foi um dos mais ousados e mais criativos dos últimos anos. A história de amor de Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet), vista do final para o começo, da tristeza, do ódio, da rotina à beleza do início da relação, aos sonhos, aos planos, à união. Revoltado por descobrir que a mulher que amava o apagou, literalmente, da memória, Joel decide fazer o mesmo, reunindo tudo o que lembrava dela e deletando de suas lembranças. O problema que ao revisitar a trajetória que havia passado ao lado de Clementine, ele descobre que ainda a ama e para não esquecê-la, passa a fugir dentro da própria mente, a levando para os lugares aonde não pertencia, é quando percebe que ela fez parte dos melhores momentos de sua vida. O que dizer sobre este filme? De atuações convincentes aos diálogos brilhantes de Charlie Kaufman, de cenas inesquecíveis que vão muito além do que se espera de uma obra. Original, muitos filmes são, mas nem todos conseguem guiar uma trama tão complexa e difícil tão bem quanto este. Palmas para o diretor Michel Gondry que realizou uma das obras mais significativas e mais importantes desses últimos dez anos.


Confira: Os Melhores da Década (2001-2010)
[Cenas]

4 comentários:

  1. Uau que lista! Acrescentaria 3 mais, Corra Lola Corra, e os 2 próximos de Michel Gondry: Sonhando Acordado e Rebobine Por Favor.

    ResponderExcluir
  2. Valeu pelo comentário!

    Pensei em colocar "Corra Lola Corra", mas decobri que não fez parte da década citada, é de 1998! E "Sonhando Acordado" não cheguei a ver, apesar de ter mta vontade e "Rebobine Por Favor", concordo com vc, merecia estar na lista, mas infelizmente vi depois de escrevê-la!

    ResponderExcluir
  3. Muito boa lista , parabéns!

    ResponderExcluir

Deixe um comentário #NuncaTePediNada