quarta-feira, 30 de maio de 2018

Crítica: Tully

O reencontro entre Jason Reitman e Diablo Cody, que vieram dessa vez falar sobre depressão pós-parto, é tão bom que nem sabíamos que precisávamos. 

por Fernando Labanca

Tudo começou com "Juno", aquela dramédia que chegou ao Oscar em 2008. Primeiro roteiro escrito por Diablo Cody que chamou a atenção do público e crítica. Alguns acharam que era sorte de iniciante. "Tully" vem justamente para mostrar, dez anos depois, que não, Cody sabe o que faz e continua a fazer com maestria. Sua parceria com o diretor Jason Reitman também sempre funcionou ao longo desses anos, onde marcam aqui, a terceira colaboração (a segunda foi com o ótimo "Jovens Adultos", também protagonizado por Charlize Theron). Quase como uma trilogia não anunciada, de cinco em cinco anos eles retornam para falar sobre um tema em comum: as dificuldades da mulher em diferentes fases da vida. E há algo de muito encantador no cinema que eles fazem juntos. Uma pureza e uma sensibilidade que não vemos com tanta frequência na tela grande.


quinta-feira, 24 de maio de 2018

17 filmes realistas sobre relacionamentos



Confesso que sempre gostei de ver filmes de romance. Até mesmo as comédias românticas...nunca neguei. No entanto, não são todos os títulos que representam muito bem a realidade e quando isso acontece a experiência acaba sendo ainda melhor. Pensando nisso, pensei em fazer esta lista com 17 obras que me marcaram justamente por trazerem uma visão mais honesta sobre relacionamentos, por evitar firulas e um romantismo desnecessário. Filmes que falaram a verdade, por mais dolorosa que seja. Filmes que conseguimos olhar para tela e nos ver ali, representados. 

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Crítica: Ingrid Vai Para o Oeste

hashtag quanto a foto que você posta diz sobre você? broken heart emoji.

por Fernando Labanca

"Ingrid Goes West" é uma comédia dark, que de tão trágica não conseguimos rir. Nos faz questionar se deveríamos ver humor em tudo o que nos revela. Ao seu fim, me senti diante de tudo o que não esperava...atingido por um drama denso, reflexivo e tão humano quanto perturbador. Se trata de uma trama que nos afeta justamente por ser tão próxima de nós, por falar sobre algo que vemos todos os dias. E que, apesar de seus exageros e bizarrices, é sim sobre todos nós, sobre as mentiras que dizemos a nós mesmos. Sobre a pessoa que inventamos e tentamos vender nas redes sociais. É um retrato triste sobre a modernidade e as consequências de se viver cercado que tudo que não é mais real. 

Aubrey Plaza interpreta Ingrid, uma jovem viciada em aplicativos. Passa suas horas curtindo fotos, vendo vídeos e interagindo com pessoas que desconhece. Dona de uma grande herança deixada por sua mãe, que faleceu recentemente, decide investir seu dinheiro em uma viagem para Los Angeles, lugar que reside Taylor Sloane (Elizabeth Olsen), uma nova influencer digital. Apaixonada pelo estilo de vida cool e descolado de sua musa, Ingrid coloca em prática um bizarro plano de aproximação, tentando aos poucos fazer parte daquela rotina, se tornando aquilo que ela tanto admira e que só era real nas fotos que curtia. 


segunda-feira, 7 de maio de 2018

Filmes vistos em abril


Abril acabou e com isso, faço mais um post aqui no blog, relembrando os filmes que vi durante esse mês. Aproveito, também, para dar essas dicas, caso estejam a procura do que assistir! Deixem nos comentários algo que tenham visto e vale a pena compartilhar!

Outras notícias