quarta-feira, 22 de maio de 2019

Crítica: Corações Batendo Alto

Onde o coração pulsa mais forte.

por Fernando Labanca 

Lançado no último Festival de Sundance, onde fez bastante sucesso, o longa traz o retorno do diretor Brett Haley que já havia emocionado com o singelo "I'll See You in My Dreams" (2015) estrelado pela veterana Blythe Danner, que aqui volta como coadjuvante. Há algo muito similar entre suas obras. Ele conta histórias simples, mas as conta com o coração. É cheio de ternura as relações existentes em suas narrativas e "Corações Batendo Alto" não é diferente. Ao falar sobre a eminente despedida entre um pai e sua filha, o filme parece não se esforçar para dramatizar tudo aquilo. A comoção já vem intrínseca em cada pequeno ato, em cada diálogo e em cada abraço dado. E neste caso, em todas as canções que embalam a trama. 

Frank Fisher (Nick Offerman) é um pai solteiro que está prestes a dizer adeus para duas coisas muito importantes em sua vida: sua loja de discos falida e sua filha, Sam (Kiersey Clemons), que decidiu estudar em outra cidade. Neste momento de tantas rupturas, ele resolve apostar em seu passado - onde tinha uma banda com sua falecida esposa - e em uma brincadeira, grava uma música com Sam e a insere no Spotify. O que ninguém esperava é que a canção acaba fazendo um certo sucesso e esta se torna a chance dele tê-la finalmente por perto. 


"Corações Batendo Alto" é um filme muito adorável, preciso dizer. Um feel good movie que, de fato, torna nossos corações aquecidos durante seus belos minutos. É gostoso demais se aventurar por essa descoberta musical entre pai e filha e como ele usa isso para estar mais perto dela. Este medo de estar distante somado a crise que enfrenta por não visualizar um futuro em que não faça algo na qual não sinta paixão. Por fim, a obra acaba falando muito sobre os nossos próprios receios e desperta fácil esta identificação em nós. O medo de apostar em algo e dar errado, o medo de não fazer o que se ama apenas por ter uma "vida que deu certo". Mais do que a música, o que também une esses dois personagens é que ambos se encontram neste ponto em que o futuro é incerto. E mais do que saber o que impulsiona o coração de cada um, entendem que é preciso coragem para seguir onde a batida é mais forte. Outro ponto muito interessante no roteiro é como a homossexualidade da protagonista é tratada. Vem de forma natural, assim como deveria ser. Não é ponto central da história e ainda assim é mostrado com bastante sensibilidade pelo texto. 

Nick Offerman e Kiersey Clemons  estão ótimos e é sempre bom vê-los em cena. Fica ainda melhor quando somos surpreendidos por seu grupo de coadjuvantes que incluem nomes como Ted Danson, Sasha Lane, Blythe Danner e a sempre maravilhosa Toni Collette. Vale ainda por desfrutar das ótimas canções como "Hearts Beat Loud" e "Blink (One Million Miles)". Nos últimos instantes, a protagonista traz uma inusitada lembrança de "Titanic" e o momento em que a banda toca quando o navio está afundando. Talvez a música realmente tenha esse poder. Nos fortalecer quando nada parece dar certo. Pelo menos é essa a sensação que o filme nos deixa. Termino de vê-lo inspirado, com vontade de sair cantando suas canções e acreditar que tudo vai dar certo no fim.

NOTA: 8,5



País de origem: EUA
Título original: Hearts Beat Loud
Ano: 2018
Duração: 97 minutos
Distribuidor: -
Diretor: Brett Haley
Roteiro: Brett Haley, Marc Basch
Elenco: Kiersey Clemons, Nick Offerman, Ted Danson, Sasha Lane, Toni Collette, Blythe Danner

terça-feira, 23 de abril de 2019

Crítica: Culpa


O som que uma história tem.

por Fernando Labanca

Lançado ano passado aqui no Brasil, "Culpa" é um filme dinamarquês premiado no último Festival de Sundance, importante evento que celebra o cinema independente. É aquele produto simples, pequeno mas que nos leva à lugares inimagináveis. Um belo exercício cinematográfico, que mesmo filmado em um único espaço, consegue entregar um thriller potente, envolvente, hipnotizante e com surpreendentes reviravoltas. 

quarta-feira, 3 de abril de 2019

Love, Death + Robots: Do pior ao melhor


"Love, Death + Robots" é uma série de animação antológica destinada ao público adulto e lançada pela Netflix recentemente. Criada por Tim Miller (Deadpool) e David Fincher (Clube da Luta, Se7en), o show nos apresenta 18 episódios que funcionam mais como curta-metragens, com histórias independentes e estéticas bem diferenciadas.

segunda-feira, 25 de março de 2019

VÍDEO: 10 filmes que completam 10 anos em 2019


Estamos ficando velhos! É sempre um susto quando nos damos conta de que aquele filme que "vimos ontem" já está completando 10 anos. 2019 esta aí e decidi reunir 10 títulos que comemoram uma década neste ano!


segunda-feira, 18 de março de 2019

VÍDEO: 7 filmes ruins que foram indicados ao Oscar


O Oscar é uma premiação conhecida por destacar produções relevantes do cinema, no entanto, isso nem sempre acontece. Houveram vezes em que deu ruim e filmes de gostos duvidosos foram parar entre os indicados. 

Pensando nisso, decidi fazer esse vídeo curto para nos lembrar dessas zebras que, por alguma razão, conquistaram a proeza de estar no Oscar! Se tiverem mais ideias de vídeos para fazer, deixem nos comentários pois é algo que pretendo me dedicar um pouco mais daqui para frente!



quarta-feira, 13 de março de 2019

Crítica: Se a Rua Beale Falasse



Retorno do diretor Barry Jenkins que, após vencer o Oscar por "Moonlight", volta para falar sobre a luta das minorias nos Estados Unidos. Baseado no livro de James Baldwin, temos aqui um duro relato sobre tantas injustiças raciais que permeiam até hoje.

quarta-feira, 6 de março de 2019

Crítica: Querido Menino


"Querido Menino" marca o primeiro filme de língua inglesa do diretor Felix van Groeningen, q foi indicado ao Oscar, há seis anos atrás, por "Alabama Monroe". Apesar de se tratar de um belo projeto, sua obra acaba que se sustentando quase que por completo na atuação de Timothee Chalamet, que prova aqui, ser um dos atores mais talentosos de sua geração. Há muita entrega sua nesse papel e me surpreende não tê-lo visto no Oscar deste ano. 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Os 13 melhores filmes originais da Netflix


Aquele momento utilidade pública do blog. Sempre gosto de fazer essas listas com os títulos da Netflix porque sei que há muitas pessoas que, assim como eu, demoram para escolher algo para assistir na plataforma. Então, esse post serve como dicas, para ajudar a selecionar e fazer aquele famigerado filtro na hora de decidir o que ver. 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Os 25 melhores filmes de 2018


Demorei mas, enfim, consegui escrever sobre os melhores filmes que vi em 2018! Nunca é uma lista fácil de se fazer, até porque eu vi muito mais do que só 25 bons filmes durante o ano, mas me pareceu uma quantidade interessante para fazer a postagem. Durante esses doze meses tive o prazer de ver muita coisa boa e espero ter feito uma seleção justa, mas de qualquer forma, deixem nos comentários as obras que vocês gostaram de ter visto.

Lembrando que os filmes avaliados são apenas aqueles lançados entre janeiro e dezembro de 2018 aqui no Brasil, independente do ano em que foram lançados em seus respectivos países de origem. Espero que gostem da lista e caso não tenham visto algum título, fica como diga para as escolhas futuras! Vamos lá!

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Oscar 2019: Apostas, surpresas e esnobados


Foi divulgada hoje, finalmente, a aguardada lista dos indicados ao Oscar deste ano. A cerimônia de entrega dos prêmios acontecerá dia 24 de fevereiro. "Roma" e "A Favorita" foram os títulos mais lembrados com 10 indicações cada um. "Nasce Uma Estrela", "Vice" e "Pantera Negra" também foram bastante citados.

Sinceramente, mas bem sinceramente mesmo...essa foi uma das piores listas de indicados dos últimos anos. É difícil se animar para fazer aquela maratona ou simplesmente torcer para algum filme. Em uma tentativa de ser mais "popular", a Academia parece ter ignorado o que realmente foi bom em prol de uma audiência. "Pantera Negra" tem seus méritos, claro, mas nada justifica tamanha aclamação e suas tantas indicações. "Logan", filme de herói lançado em 2017, é notavelmente superior e não teve todo esse espaço. Não há, principalmente, como engolir "Bohemian Rhapsody" como Melhor Filme. É uma obra desastrosa e me faz questionar a seriedade da premiação. Rami Malek também não merecia estar ali. E nada disso ocorreu por falta de opção, tínhamos opções melhores, que cito entre os esnobados.

Retrospectiva 2018: Os Destaques do ano


Depois de fazer a retrospectiva relembrando as melhores atuações do ano, retorno agora para fazer mais uma lista especial aqui no blog. É uma premiação fictícia e que, mesmo ninguém levando prêmio pra casa, destaca filmes moralmente vencedores. Serão premiados em nossos corações e nada mais importa.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Retrospectiva 2018: Os Melhores Atores



Para finalizar a parte da retrospectiva relacionada às melhores atuações de 2018, deixo com vocês a lista dos melhores atores do ano. É um pouco delicado colocar em uma "ordem", então não levem a sequência muito em consideração, já que não existe aqui um melhor ou pior que o outro. Se sentirem falta de algum nome, deixem nos comentários. Lembrando que selecionei apenas as atuações presentes em filmes lançados no Brasil entre janeiro e dezembro do ano passado. 

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Retrospectiva 2018: As Melhores Atrizes


Confesso que tenho um prazer enorme em fazer essa lista, principalmente quando consigo reunir e destacar o trabalho de tantas atrizes que admiro. Sim, foi difícil porque tive que deixar outras que gosto para trás e fechar as 15 melhores atuações femininas. Espero que gostem dessa retrospectiva 2018 e se lembrarem de outros nomes que ficaram de fora, deixem nos comentários. Vale lembrar que levei em consideração apenas os filmes lançados no Brasil durante o período de janeiro a dezembro do ano passado.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Retrospectiva 2018: Os Melhores Atores Coadjuvantes


A retrospectiva 2018 retorna agora para falar sobre as melhores atuações masculinas em personagens coadjuvantes. Confesso que foi uma lista difícil de fazer porque durante o ano tivemos atuações muito boas e chegar em 15 nomes foi quase impossível, mas espero que tenham gostado dos que, enfim, selecionei. Lembrando que tomei como base apenas os filmes lançados comercialmente entre janeiro e dezembro de 2018 aqui no Brasil. Se lembrarem de outros atores, fiquem a vontade para comentar!

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Retrospectiva 2018: As Melhores Atrizes Coadjuvantes


Continuando a retrospectiva no blog, vou dar início às postagens relacionadas às atuações de 2018. Para começar, vamos falar sobre as melhores interpretações femininas em papéis coadjuvantes. Escolhi as 15 que mais me chamaram a atenção e vale lembrar que a seleção foi feita apenas com os filmes lançados no Brasil comercialmente entre janeiro e dezembro deste ano. Espero que gostem, se lembrarem de outra atriz, deixem nos comentários!

Outras notícias