quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Os 50 filmes visualmente mais impressionantes da década


Tenho este blog faz 10 anos. É até estranho pensar que faz tanto tempo assim. Desde que comecei a escrever tive essa vontade de fazer essas listas com os melhores da década e finalmente poderei realizar esse meu desejo hehe. Nesses anos que passaram minha paixão por cinema só aumentou e por ter conseguido ver muita coisas durante este tempo, espero conseguir fazer uma lista justa (e decente também). 

E com o fim desta década que se aproxima, faço este post para relembrar obras que marcaram pelo visual. Filmes com aspectos técnicos impecáveis e que nos deixaram admirados pela fotografia, cores, enquadramentos, efeitos especiais, figurinos, design e maquiagem. 50 é bastante coisa e espero ter lembrado de todos que mereceram estar aqui. Se lembrarem de outros títulos, deixem nos comentários! 

por Fernando Labanca


50. Sucker Punch
2011 |  Zack Snyder
Warner Bros.
Quando Zack Snyder consegue, no meio das megalomaníacas produções em que se envolve, mostrar sua identidade e sua assinatura como cineasta, a recompensa é alta. "Sucker Punch" é um respiro em sua filmografia e a chance única em que ele teve de revelar sua assinatura nesta década. Do Japão feudal à Primeira Guerra Mundial steampunk. Tudo é possível em sua trama e todos os universos ganham vida com efeitos especiais bem aplicados e uma fotografia marcante. Um espetáculo visual.  




49. Moonlight
2016 |  Barry Jenkins
Diamond Films
Os poderosos enquadramentos de Barry Jenkins tornam “Moonlight” em uma obra marcante, digna de ser lembrada. Há uma forte paleta de cores sempre presente nas cenas, tudo extremamente bonito de se ver.




48. Animais Noturnos
2016 |  Tom Ford
Universal Pictures
Além de diretor, Tom Ford é conhecido por ser um renomado estilista e isso justifica suas fortes referências do mundo da moda para compor sua obra. “Animais Noturnos” abusa de cores, figurinos e maquiagem para ilustrar uma trama pesada e bastante complexa. Um filme luxuosíssimo, belo em muitos aspectos.  




47. Vingança
2018 |  Coralie Fargeat
Fênix Filmes
O poder das cores dentro de um filme. A farofa francesa sobre uma jovem que decide se vingar após ter sido estuprada entrega momentos de pura tensão mas, também, instantes de pura contemplação, enquanto traz referência ao cinema exploitation. 




46. Segredos de Sangue
2012 |  Park Chan-wook
Fox Film do Brasil
Empreitada do coreano Park Chan-wook em Hollywood, ele não decepciona no visual e entrega um produto exuberante e com uma estética arrojada. A produção aposta em elementos, seja nos figurinos, seja nos curiosos objetos de cena, para traduzir a personalidade de cada personagem, seus pecados e seus desejos. Há, ainda, uma atmosfera mórbida que transita do começo ao fim, ilustrada por uma fotografia fria que transforma cada tomada em um quadro a ser admirado. 




45. A Ghost Story
2017 |  David Lowery
-
As cores e iluminação de "A Ghost Story" muito bem ilustram esta atmosfera melancólica que a trama pede, entregando frames que muito parecem uma pintura. Antes de dirigir a obra, David Lowery já havia feito parte do departamento de arte de outras produções e prova aqui todo o seu domínio estético. 




44. O Artista
2011 |  Michel Hazanavicius
Paris Filmes
Filmado em preto e branco, “O Artista” é uma singela homenagem ao cinema e um show lindo de se ver. O diretor francês Michel Hazanavicius constrói um filme minucioso, lindamente calculado. Seus enquadramentos, movimentos e figurinos o faz ser um musical único, mágico e que nos transporta ao passado. Durante seus belos minutos voltamos no tempo e sentimos como se estivéssemos vendo um longa-metragem antigo, não apenas por seu aspecto retrô, mas pelo capricho e cuidado com todos os detalhes. 




43. A Criada
2016 |  Park Chan-wook
Mares Filmes
O diretor Park Chan-wook marcou seu nome com o filme “Old Boy” e nesta década ele também deixou sua marca com o belíssimo “A Criada”, uma produção coreana luxuosa, estonteante e esteticamente fascinante. As cores vivas, os cenários com arquitetura antiga e figurinos maravilhosamente bem desenhados ajudam a ilustrar uma trama surpreendente. Um filme que choca em muitos sentidos e o visual é, com certeza, uma das tantas razões para nos deixar de boca aberta. 




42. Pantera Negra
2018 |  Ryan Coogler
Disney / Buena Vista
“Pantera Negra” foi um bom respiro nas produções de heróis da Marvel e ao beber de ótimas referências, constrói na tela momentos de pura contemplação. Com figurinos, maquiagem e cenários que trazem um pouco das tradições tribais africanas, acabou-se criando um universo muito único e futurista que eles chamam de Wakanda. Este lugar mágico é crível porque seu design não é apenas estético, é também funcional. É tudo bem realizado e visualmente formidável. 




41. Melancolia
2011 |  Lars von Trier
California Filmes
O antológico prelúdio de “Melancolia” surge como uma pintura em movimento. É chocante a beleza daqueles instantes e o restante do filme não decepciona. Lars Von Trier entrega seu produto mais requintado e, visualmente, mais impressionante. 




40. Sete Minutos Depois da Meia-Noite
2016 |  Juan Antonio Bayona
Diamond Films
É muito natural como a fantasia se funde na realidade dolorosa narrada no drama “Sete Minutos Depois da Meia-Noite”. É poético a forma como as ilustrações ganham vida na tela e como o diretor espanhol J.A.Bayona, que tão bem entende de terror, faz um filme de monstro único, sensível e visualmente poderoso.




39. Birdman (ou a Inesperada Virtude da Ignorância)
2014 |  Alejandro González Iñárritu
Fox Film do Brasil
A parceria entre o diretor Alejandro González Iñárritu e o diretor de fotografia Emmanuel Lubezki é uma das mais belas desta década. Em “Birdman”, eles entregam um produto refinadíssimo e muito bem orquestrado, com todas as suas cores e movimento. É mágico notar a dificuldade em ordenar um plano sequência e ainda se preocupar com o visual de cada canto e cada virada insana de câmera e é justamente por isso que o trabalho de fotografia aqui é um dos mais brilhantes dos últimos anos (e felizmente foi premiado por isso).




38. Anomalisa
2015 |  Charlie Kaufman
Paramount Pictures
“Anomalisa” marca o retorno de uma das mentes mais brilhantes do cinema: Charlie Kaufman. A ideia por si só já é incrível, mas ainda somos surpreendidos com uma animação fantástica e muito bem realizada. É assustador o alto nível da produção, que de movimentos tão perfeitos, até esquecemos que estamos diante de um stop motion. É impossível não ficar hipnotizado pela qualidade visual que oferece.




37. Expresso do Amanhã
2013 |  Bong Joon-ho
Playarte Pictures
O visual aqui tem extrema importância, pois é nele que se diferencia cada vagão de um mesmo trem onde toda a trama acontece. São nos elementos, cores, figurinos e maquiagem que notamos a discrepância existente entre as classes sociais e é desta forma que o brilhante roteiro consegue ilustrar suas tantas críticas. É bonito notar o trabalho que a produção teve em desenvolver tantos universos distintos e colocá-los em um mesmo local. E surpreende ao fazerem isso tão bem e de forma visualmente tão bela.




36. Oblivion
2013 |  Joseph Kosinski
Universal Pictures
Talvez falte muito para que "Oblivion" se tornasse uma ficção científica relevante nesses últimos anos. No entanto, se tem algo que ele não falhou em absolutamente em nada foi em seu visual. As naves desenvolvidas para a obra são de uma originalidade admirável e chamam a atenção, não apenas pelo design arrojado, mas principalmente pela funcionalidade palpável delas. Acreditamos que tudo aquilo é possível e essa é a genialidade do design de produção. O diretor Joseph Kosinski ainda constrói um filme de ação refinado, que na ausência de sequências desenfreadas, nos permite contemplar suas belas e vastas paisagens e qualidade técnica de tudo o que nos oferece. 




35. Os Oito Odiados
2015 |  Quentin Tarantino
Diamond Films
Os filmes de Quentin Tarantino costumam chamar a atenção pelo visual e sempre vamos ao cinema a espera de sermos surpreendidos positivamente. Ainda que “Os Oito Odiados” seja um dos filmes mais mornos da carreira do diretor, ao menos fomos presenteados com um dos visuais mais belos de toda sua filmografia. A sua câmera que capta amplas paisagens, a fotografia e o charmoso design que fora desenvolvido para o cenário principal de uma cabana, além dos belos figurinos. Um trabalho admirável. 




34. Demônio de Neon
2016 |  Nicolas Winding Refn
California Filmes
O terror bizarro de Nicolas Winding Refn que abusou de cores, excessos, sangue e muito neon para trazer para as telas o mundo da moda como nunca tinha se visto antes. Com elementos marcantes e um design agressivo, o visual da obra é, definitivamente, o que mais nos chama a atenção. O terror do filme, muitas vezes, é ilustrado através de sua estética e não necessariamente pelas ações dos personagens.




33. A Vida Secreta de Walter Mitty
2013 |  Ben Stiller
Fox Film do Brasil
Seja um sonho, imaginação, seja uma realidade fantástica. A brilhante mente de Walter Mitty nos presenteou com sequência valiosas, dignas de se deixar na memória. Foi lindo de ver e sentir toda a jornada no protagonista e, como diretor, Ben Stiller caprichou no visual, tornando tudo ainda mais fascinante de assistir. 




32. Ex Machina
20xx |  Alex Garland
Universal Pictures
Uma das ficções científicas mais brilhantes de nosso tempo, fato. Mesmo que filmado em um único espaço, é fantástico o que a produção conseguiu fazer com tão pouco. O bom trabalho de iluminação e efeitos especiais nos deixam hipnotizados. Sem a necessidade de ser acelerado ou mirabolante demais, temos a chance de apreciar com calma cada detalhe da obra e a recompensa é altíssima.




31. A Forma da Água
2017 |  Guillermo del Toro
Fox Film do Brasil
As produções de Guillermo del Toro sempre trazem um belo visual e “A Forma da Água” não é exceção. Há um cuidado surpreendente nos detalhe e na construção de cada sequência. Seja no design curioso de sua criatura, seja nos estonteantes cenários e figurinos. É bonito ver o trabalho de toda sua equipe, que se superam a cada novo filme.   




30. O Mestre
2012 |  Paul Thomas Anderson
Paris Filmes
Paul Thomas Anderson é um dos maiores cineastas ainda em atividade, isso é um fato. A forma como ele captura suas imagens é de uma beleza hipnotizante e somos presenteados por extraordinários planos abertos e ficamos ali, desnorteados por seu deslumbre visual. "O Mestre" é uma daquelas obras que nos fazem acreditar no cinema outra vez.




29. Sob a Pele
2013 |  Jonathan Glazer
Paris Filmes
Ainda que grande parte da obra seja dedicada a uma filmagem crua estilo documental, quando enfim "Sob a Pele" abraça a ficção científica, o resultado é lindo de se ver. As sequências em que a protagonista mergulha no limbo enquanto se alimenta de suas presas é visualmente impactante e dessa forma o diretor oferece um dos instantes mais memoráveis dessa década.




28. A Chegada
2016 |  Denis Villeneuve
Sony Pictures
O visual de “A Chegada” é poderoso. As sequências, muito bem dirigidas por Denis Villeneuve, imprimem um realismo assustador. Enquanto ficção científica, a produção entrega algumas das cenas mais emblemáticas de nosso tempo. 




27. Macbeth: Ambição e Guerra
2015 |  Justin Kurzel
Diamond Films
Adaptação do clássico de Shakespeare, “Macbeth” levou aos cinemas uma das batalhas mais bem filmadas dos últimos anos. A excelente direção do novato Justin Kurzel, somado ao uso de cores e movimentos extremamente bem coreografados, tornam alguns momentos da obra simplesmente memoráveis. A fotografia do filme é, definitivamente, um espetáculo. 




26. Trama Fantasma
2017 |  Paul Thomas Anderson
Universal Pictures
Paul Thomas Anderson é um mestre e se não for para fazer obra-prima aclamada ele nem sai de casa. É assim que sempre somos surpreendidos por um visual estonteante de seus filmes. “Trama Fantasma” é classudo, refinado e encanta pela beleza das cenas. Os figurinos, a arquitetura clássica de seus cenários luxuosos e sua câmera que captura tudo com enquadramentos irretocáveis. Seu cinema é fascinante e não há absolutamente nada fora do lugar. 




25. Spring Breakers
2012 |  Harmony Korine
Universal Pictures
As cores fortes tornam “Spring Breakers” em um filme expressivo, cheio de vida e intensidade. É impressionante a qualidade das imagens e o quão bela é a rotina e as ações mais corriqueiras pelo olhar do cineasta Harmony Korine. As festas, as caminhadas na praia, a vida de crime. A forma que ele encontra para ilustrar tudo isso é visualmente impactante. 




24. A Cura
2017 |  Gore Verbinski
Fox Film do Brasil
Um thriller psicológico com inúmeros defeitos, no entanto, é impossível não ficar de boca aberta e admirar o belíssimo e irretocável visual da obra. Sua cores e planos, tudo muito bem ordenado pelo diretor Gore Verbinski, que entrega um produto assustadoramente bem produzido. Sua estética nos deixa hipnotizados pela grandeza e beleza de cada cenário, cada espaço e enquadramento. Inclusive, é uma pena que o roteiro não alcance a perfeição de todo o seu design. 




23. Silêncio
2016 |  Martin Scorsese
Imagem Filmes
O projeto dos sonhos de Martin Scorsese passou despercebido pelo público, mas quem o encontrou teve o privilégio de presenciar um dos visuais mais impressionantes desta década. A fotografia fria ilustra muito bem a tensão e o terror existente em sua trama. Além disso, os ricos enquadramentos e sua câmera que captura amplas paisagens e cenários, tornam a obra em algo grandioso, impactante. 




22. Com Amor, Van Gogh
2017 |  Dorota Kobiela, Hugh Welchman
Europa Filmes
Com certeza, uma das animações mais impressionantes que vimos em muito tempo. É surpreendente toda a técnica utilizada para finalizar a obra. Para contar os últimos passos de vida do gênio Van Gogh, a equipe - que contou com mais de 100 artistas - pintou à óleo frame por frame e isso somou 65 mil telas. É absurdo pensar em todo o trabalho que tiverem e é lindo poder conferir o resultado de tamanho esforço. São quadros animados e não haveria forma mais justa - e mais poética - para homenagear um dos maiores talentos de nossa história. 




21. Alice no País das Maravilhas
2010 |  Tim Burton
Disney / Buena Vista
Não poderia fazer esta lista e não citar, ao menos uma vez, Tim Burton. Ainda que a carreira do veterano tenha dado uma decaída significativa nesta década, ele ainda conseguiu oferecer o que tem de mais marcante em sua filmografia: aquele visual colorido e grotesco que tanto amamos com sua assinatura. “Alice” chamou bastante a atenção pelo alto nível de qualidade técnica, assustando pelo cuidado de cada pequeno detalhe na tela. É belo, é atrativo e durante seus minutos nos deu vontade de entrar ali e viver um pouco daquela fantasia. Apesar do roteiro fraco, a produção acertou em cheio na estética. 




20. O Regresso
2015 |  Alejandro González Iñárritu
Fox Film do Brasil
Com forte referência às obras de Terrence Malick, o mexicano Alejandro González Iñárritu traz em cena belíssimas paisagens, figurinos e maquiagem. É bastante sensorial toda a composição de seu universo, deste encontro do homem com a natureza, do personagem que se infiltra para viver com os nativos, da paixão que nasce ali. Ele cria este estado de contemplação, neste cinema que encontra beleza em tudo aquilo que é natural e nos deixa à vontade, observando e admirando tudo o que nos vem pela frente.




19. La La Land
2016 |  Damien Chazelle
Paris Filmes
Damien Chazelle provou todo seu talento como cineasta no - quase - vencedor do Oscar de Melhor Filme. Tons saturados e movimentos ilustram a obra que funciona como uma grande homenagem ao cinema, além de trazer a magia dos musicais de volta aos holofotes. Com iluminação e uma paleta de cores bem marcante, a obra hipnotiza por seu visual, sendo do começo ao fim um deleite aos amantes da sétima arte.




18. Interestelar
2014 |  Christopher Nolan
Warner Bros.
Uma das ficções científicas mais bem elaboradas e mais atraentes desta década. Foi lindo poder ver este trabalho tão bem finalizado de Christopher Nolan. O interior das naves, a tecnologia e a arquitetura funcional daquele tempo. É realista e muito bem desenhado pela produção, que capricha e nos espanta pela qualidade de cada detalhe. A fotografia também é um espetáculo à parte.




17. Ilha dos Cachorros
2018 |  Wes Anderson
Fox Film do Brasil
O cinema irreparável do mestre Wes Anderson. Ele é um artista único, dono de uma assinatura única. É sempre lindo poder ver o resultado de suas obras e se encantar por todos os ricos detalhes de suas produções. “Ilha dos Cachorros” prova um capricho de toda sua equipe, que une todos os elementos em perfeita harmonia. Som, trilha sonora, fotografia, tudo em perfeito estado. As cores, os efeitos e a caracterização de seus personagens fazem da animação uma das mais belas desta década. O resultado é soberbo e como stop motion, um deleite para os olhos. 




16. A Invenção de Hugo Cabret
2011 |  Martin Scorsese
Paramount Pictures
A homenagem ao cinema feita por um dos maiores gênios do cinema: Martin Scorsese. Foi uma grata surpresa poder ver o veterano criando na tela uma trama infantil e muito distante de tudo o que ele já havia feito. Os efeitos especiais, a bela fotografia, figurinos e tudo o que compõe este universo mágico e lúdico desenvolvido com muito capricho por toda a equipe do filme. Tudo muito lindo de se ver e admirar.




15. Her
2013 |  Spike Jonze
Sony Pictures
É muito interessante como a cor funciona em “Her” e o poder que ela exerce em cada sequência. A direção cuidadosa de Spike Jonze também se destaca e se prova preocupado com cada pequeno detalhe. A forte paleta de cores, os objetos de cena e o visual melancólico e ao mesmo tempo esperançoso desse futuro, nos acolhe, traz conforto mas também entristece pelo vazio daquela sociedade exposta. 




14. A Origem
2010 |  Christopher Nolan
Warner Bros.
Christopher Nolan e sua equipe desenvolvem aqui a arquitetura do sonho e o resultado é brilhante. São diversos universos criados para a obra, todos com um visual diferente e uma funcionalidade nova. A produção extrapola o limite da criatividade e nos faz emergir dentro sua belíssima e bem orquestrada fantasia. 




13. Ida
2013 |  Pawel Pawlikowski
Zeta Filmes
Sem dúvidas, um dos enquadramentos mais fascinantes dos últimos anos. Não há sequer um plano mal elaborado, uma pessoa ou objeto fora do grid. A perfeição visual alcança um nível absurdo aqui. Os belos contrastes do preto e branco só tornam seus instantes ainda mais impressionantes.




12. A Espuma dos Dias
2013 |  Michel Gondry
Pandora Filmes
Visualmente falando, se trata de um dos filmes mais inventivos da década. Em uma espécie de fábula adulta, somos presenteados pelas criações mirabolantes de Michel Gondry. A cada nova cena somos surpreendidos por milhares de novos artefatos, engenhosidades que provam a genialidade de toda a produção. São objetos, máquinas, robôs, corpos elásticos e tudo o que estiver o mais possível distante da lógica. É lindo poder assistir tantos efeitos práticos e um cinema cada vez mais raro de acontecer. 




11. Roma
2018 |  Alfonso Cuarón
Netflix
“Roma” é visualmente formidável. O diretor Alfonso Cuarón é conhecido pelo cuidado milimétrico que tem com suas obras e é surpreendente como cada plano surge na tela. São como quadros em movimento, irretocáveis, belamente enquadrados e capturados. A escolha pelo preto e branco o engrandece. 





10. O Conto dos Contos
2015 |  Matteo Garrone
Mares Filmes
O conto de fadas adulto de Matteo Garrone espanta pelo visual que parece retirado de pinturas da Irmandade Pré-Rafaelita. Suas cores fortes e figurinos luxuosos dão um tom clássico e suas paisagens e cenários realmente parecem ilustrações de livros antigos. Um espetáculo estético, fascinante de assistir e admirar. 




9. As Aventuras de Pi
2012 |  Ang Lee
Fox Film do Brasil
Extremamente tudo em “Aventura de Pi” é lindo de se ver. As impressionantes sequências filmadas por um inspirado Ang Lee são belas demais para desgrudar o olho e não ficar hipnotizado por cada segundo. Toda a aventura do protagonista, que se mantém à deriva com um tigre, é perfeitamente ilustrada por uma irretocável fotografia, além dos belíssimos efeitos especiais que tornam tudo absurdamente crível. 




8. Tron: O Legado
2010 |  Joseph Kosinski
Disney / Buena Vista
O diretor Joseph Kosinski trouxe ao cinema todo o seu conhecimento de arquitetura e design e entregou um produto que se tornou referência visual para muito do que foi feito posteriormente. Ele redefiniu a estética, criou algo novo mesmo se tratando de uma sequência. Como filme, pode ter seu defeitos, mas enquanto produção de cinema, definitivamente, deixou um legado.




7. Guerra Fria
2018 |  Pawel Pawlikowski
California Filmes
Um verdadeiro show de fotografia. Uma sequência deslumbrante de um visual riquíssimo e muito bem filmado pelo russo Pawel Pawlikowski. As cenas, filmadas em preto e branco, soam como quadros em movimento, muito bem pintados e direcionados. Os enquadramentos são tão belos que até esquecemos de prestar atenção no filme.




6. Anna Karenina
2012 |  Joe Wright
Universal Pictures
Mais uma parceria entre a atriz Keira Knightley e o diretor Joe Wright (Orgulho e Preconceito). A produção é estonteante e faz uns jogos interessantes em cena, onde os cenários se movem como uma peça de teatro. O resultado é bem curioso e nos hipnotiza pela qualidade técnica. Além do belíssimo trabalho de direção de arte, a obra se destaca pela maquiagem e figurinos.




5. A Árvore da Vida
2011 |  Terrence Malick
Imagem Filmes
O grande retorno ao cinema do mestre Terrence Malick. É uma obra sensorial, profunda e reflexiva e seu visual nos leva para uma viagem visualmente impactante. Tudo é lindo como um sonho que não queremos acordar. 




4. O Grande Gatsby
2013 |  Baz Luhmann
Warner Bros.
Um grande evento. Uma festa que todos nós gostaríamos de ter participado. Uma festa gigantesca, com figurinos de época perfeitamente desenhados para cada convidado e um cuidado com detalhes poucas vezes visto nesta década. Baz Luhrmann criou algo revigorante, cheio de cor e alma. Tudo em cena é uma atração e nos fascina por seu visual deslumbrante. Muita riqueza jogada na sua cara. 




3. Mad Max: Estrada da Fúria
2015 |  George Miller
Warner Bros

O novo “Mad Max” é insano em todos os sentidos. Não apenas pela adrenalina das sequências de ação, mas também pela grandiosidade visual que George Miller recriou. É impossível desgrudar o olho da tela e não ficar de boca aberta com todos os seus planos. Uma obra de arte, sem mais. 




2. Blade Runner 2049
2017 |  Denis Villeneuve
Sony Pictures
O diretor Denis Villeneuve teve grandes responsabilidades em suas mãos quando aceitou realizar a sequência de um dos maiores clássicos da ficção científica. Foi uma grande surpresa poder se deparar com um filme completamente bem realizado e, principalmente, assistir na tela grande um dos visuais mais impressionantes de nosso tempo. Todas as cenas são lindas, desde a arquitetura de cada espaço criado, figurinos, cores até a premiada fotografia de Roger Deakins. 




1. O Grande Hotel Budapeste
2013 |  Wes Anderson
Fox Film do Brasil
Os filmes do mestre Wes Anderson sempre chamaram a atenção pelas cores e por toda a sua construção ser meticulosamente calculada. Seu cinema é lindo e “O Grande Hotel Budapeste” marca o ápice desse seu aperfeiçoamento visual. Seja a arquitetura retrô de seu arrojado hotel, seja pelos figurinos ou sua irretocável maquiagem aplicada em seu elenco estelar. Nada está fora do lugar e extremamente tudo é incrível de ser ver e admirar. As definições de “vintage” foram atualizadas aqui e com sucesso. 


4 comentários:

  1. Amei a lista. Realmente todos possuem um visual incrivel. Me chamou atenção Vingança e ainda não assisti ele
    https://cinemacemanosluz.blogspot.com/2019/08/cine-dica-em-cartaz-voando-alto-uma.html

    ResponderExcluir
  2. Que bom que curtiu! Depois dá uma conferida em "Vingança", um filme interessante que merece a descoberta.

    ResponderExcluir
  3. Fantástico. Vou atrás de assitir os que faltam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste dos que ainda for assistir! Fico feliz que tenha curtido a lista!

      Excluir

Deixe um comentário #NuncaTePediNada

Outras notícias