terça-feira, 17 de julho de 2012

Crítica: O Espetacular Homem-Aranha (The Amazing Spider-Man, 2012)

Ignorando completamente a trilogia de Sam Raimi (2002 -2007), assistimos a um novo início do Homem Aranha, dessa vez na pele do ator Andrew Garfield e com a direção de Marc Webb (500 Dias Com Ela). O filme revela, a meu ver, a falta de criatividade em Hollywood, sem ter mais o que lançar de novo, acaba se perdendo em remakes e reboots, agindo como se a obra original jamais tivesse existido. Existem casos em que o original é ruim e o que eles tentam é refazer tentando melhorar as falhas do anterior, mas não é este o caso, a trilogia conquistou fãs e recebeu inúmeros elogios e de fato nunca haverá uma razão para ter sido ignorada dessa forma. O reboot é bom, entretenimento que vale a pena, mas infelizmente não cumpre sua premissa básica, ser melhor que o original e este acaba sendo seu maior defeito. 

por Fernando Labanca

Nesta nova versão, Peter Parker (Garfield) ainda é aquele nerd do colégio que não é bem visto pelos populares, sente uma forte atração pela bela Gwen Stacy (Emma Stone) que não demora muito tempo para notar a presença do jovem. Quando criança, Peter havia sido abandonado por seus pais e a razão disso nunca lhe fora explicada e desde então vive com seus tios Ben (Martin Sheen) e May (Sally Field). Eis que certo dia ele encontra alguns objetos de seu pai e através deles passa a verificar seu passado e seguindo algumas pistas descobre um antigo amigo, o cientista Curt Connors (Rhys Ifans) e através dele tenta descobrir um pouco mais sobre seu pai, e nisso acaba se envolvendo em sua pesquisa, um longo estudo sobre mistura de genes de diferentes animais. Como consequência, Peter é picado por uma aranha em uma das salas da Oscorp, a partir de então, passa a ter algumas novas e inusitadas características, e passa a usar seu novo "dom" para agir como herói nas ruas violentas de sua cidade. Para sua surpresa, porém, o experimento de Connors falha e o cientista se transforma em seu pior inimigo, o lagarto. 


"O Espetacular Homem Aranha" tem como principal função dar um novo início ao herói, partindo do zero, possibilitando uma nova trilogia e novos caminhos para os personagens. Neste ponto, o longa de Marc Webb acerta, consegue fugir do que Sam Raimi já havia feito, procura outras alternativas e como estrutura, o novo filme pouco se assemelha com o original. Vemos na tela, um outro Peter Parker, surge mais natural, mais engraçado, mais jovem e isso faz bem para a trama e o talento do expressivo Andrew Garfield contribui e muito. Por outro lado, por mais que a presença de Tobey Maguire não seja tão marcante quanto a de Garfield, a composição e o desenvolvimento de Peter Parker original se mostra superior, parece sofrer dilemas um pouco mais intensos e se depara com conflitos ainda maiores e toda a forma como o Homem Aranha compreende seus poderes e como tudo se inicia, ainda fico com a versão anterior, logo que dessa vez, tudo ocorre de forma muito rápida, parece não haver processos, uma cena ele não tem poderes, na próxima ele já sabe como lidar com eles, em uma cena ele se mostra interessado pela mocinha, na próxima ela já o convida para conhecer a família. Por falar na mocinha, ela ganha destaque simplesmente por ser Emma Stone, mas infelizmente pouco interage com a história, está presente somente para ser o par romântico e diga-se de passagem, as cenas do casal são bem feitas e são devido a elas que o filme acaba se aproximando ainda mais de seu público. Entretanto, Mary Jane de Kirsten Dunst parecer ter maior importância na trama, existe toda uma história da personagem que se desenvolve durante a trilogia. Já o vilão, o lagarto, está longe de ser tão bom quanto qualquer outro vilão da versão original, há algumas sequências lamentáveis como sua invasão no colégio e outras em que ele parece que vai destruir tudo, mas temos a impressão que ele não põe medo em ninguém e a cidade quase não se altera com sua presença, mesmo ele sendo um lagarto gigantesco e "aterrorizante".

O filme tenta se apegar também ao passado do pai de Peter Parker e usa isso como "aquilo que a trilogia não havia mostrado", se firma nisso como se fosse sua grande revelação, o que acaba sendo decepcionante. Naquela velha história onde nada é revelado para se poder fazer um segundo filme essa trama fica vazia e sem respostas e pouco que descobrimos sobre ela não é nada surpreendente e nada que nos faça querer saber sobre ela. Como já havia dito, o pior defeito do longa é a existência da trilogia original, onde consegue superá-la em pequenos pontos, como seu humor, as boas cenas de ação e de romance, mas no geral, fica devendo, se mostra um filme de ação como qualquer outro de herói, com direito aos velhos clichês, como o herói observando a cidade pela ponta de um prédio, ele tirando a máscara para dizer algo importante, aliás ele faz isso demais como se não entendesse o lance de ser um herói mascarado, além do vilão que nasce de um experimento malsucedido. Enfim, pouco inova como cinema, tenta fugir da versão anterior, mas não consegue fugir dos velhos hábitos do gênero ação.

No entanto, "O Espetacular Homem Aranha" tem como grande ponto positivo a escolha de seu elenco. Andrew Garfield já havia provado ser um grande ator em filmes como "A Rede Social" e "O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus" e aqui ele se mostra a vontade na pele do herói. Já Emma Stone mostra mais uma vez seu enorme carisma e convence na pele da mocinha, que aliás, não é tão indefesa quanto o de costume. Destaque também para os tios de Peter, Martin Sheen está incrível na pele do Tio Ben, assim como Sally Field, que para minha grande surpresa, consegue fugir de seus trejeitos da série "Brothers and Sisters". O vilão de Rhys Ifans está normal, não decepciona, mas também não surpreende. 

Os efeitos especiais estão bons, apesar da composição do vilão por vezes parecer um pouco bizarra, mas no geral, agrada. O 3D faz sua parte, faz diferença em determinadas cenas. Um filme que diverte pelo bom humor e por seus personagens interpretados por grandes atores, tenta focar a trama mais na história de Peter e não tanto no vilão, mas acaba falhando neste quesito, pois o roteiro não consegue criar nada de tão interessante. Aliás, o roteiro é bem óbvio, não vai além dos caminhos já percorridos por outros filmes e é quase que impossível não compará-lo ao original, que a meu ver, não o supera. Um filme, de certa forma pretencioso, que pretende ser melhor que o primeiro, mas não consegue. Que pretende revelar uma grande novidade jamais revelada sobre o herói, mas falha em sua premissa. Que pretende ser mais emocionante, mas também não consegue, os dramas de Peter nunca aparecem de forma palpável, se tornando um mero filme de ação que tenta trazer uma carga psicológica ao personagem e não consegue devido ao razoável roteiro e nisso a trilogia de Sam Raimi teve mais êxito, sem a intenção de emocionar, emocionava mais e sem a intenção de ser tão grandioso, conseguiu ser mais memorável. Muito aquém de um diretor que um dia realizou "(500) Dias com Ela. Vale a pena, mas infelizmente não foge do rótulo..."mais um filme de herói". 
  
 NOTA: 6,5




10 comentários:

  1. Discordo plenamente.
    A trilogia anterior era filme pra crianças assistirem. Feito para pessoas que nunca leram uma única HQ do herói.
    Este novo filme se mostrou mais adulto e mais próximo da realidade, além de mostrar um HA muito mais próximo daquele dos quadrinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc ta doido, vc trocou as bolas.. A trilogia era fiel as hqs e era mais adulto.. esse novo é infantilizado e sem graça

      Excluir
  2. Não li a HQ, mas vc não foi o único a dizer q o Homem Aranha mostrado neste filme chegou mto mais próximo da HQ, portanto, acredito q como adaptação, este tenha sido melhor q o anterior.

    porém, minha avaliação é apenas como cinema, e não como adaptação, justamente por não ter lido. Como cinema, achei a trilogia superior.

    valeu pelo comentário!!

    ResponderExcluir
  3. Simples, se tivessem feito esse filme primeiro e todos os outros, a partir deste, ótimo. Mas não, fizeram esse filme muito mais INFANTIL, uma comédia romântica sem a comédia e sem o romance.
    Vão começar a rever todos os filmes baseados em HQ (que eu não leio e nunca li) e refazer todos mal feitos? Por que dizer mal feito? Onde que a trilogia do Homem Aranha foi mal feita? Foi épica, marcou gerações e carreiras. Só por que não foi igual o HQ? (faça me o favor)
    Mas se essa moda pegar, será que vão fazer isso com livros também? Será que vão refazer alguns filmes do Harry Potter?
    Todos esses "serás" tem uma única resposta: Não teria cabimento e seria muita falta de ética e criatividade.
    Uma resposta curta para esse filme, os atores são ótimos (ponto).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SE você realmente viu os filmes da trilogia anterior sabe que não há nada de adulto no filme e sim muitas cenas entediantes cansativas e sem qualquer trama que é praticamente tudo o que Sam Raime pode fazer nos filmes,SE é para fazer um filme de super herói então é obvio que tem que ter a essência da onde foi baseado e a ideia vem toda dos quadrinhos,não existiria história sem ele.
      Cresça em suas opiniões e não critique um assunto que você não entende pois só irá mostrar o quão ignorante você é.
      Não há nada de infantil em um personagem de dezessete anos,confuso e com perdas na família tentando se ajustar,e´assim que o personagem cresce e se me lembro bem essa parte do filme com romance e 'comédia' estava mais do que presente nos filmes anteriores e foram responsáveis pelas raras cenas que me fizeram assistir algo tão maçante.

      Excluir
    2. Entediante e cansativo é ver a cena do basquete do amazing spiderman, cena mais lixo que essa não pode ter.

      Excluir
  4. "uma comédia romântica, sem a comédia e sem o romance", gostei da definição, Camila!
    Pois é, concordo com vc, a trilogia original foi incrível e não há motivos para ser refeita e em nenhum momento este filme consegue provar que merecia ter sido realizado.

    E sim, os atores deste são realmente ótimos.

    Obrigado, mais uma vez, pelo comentário!

    ResponderExcluir
  5. Também concordo com a Camila.
    Sou muito fã do Homem-Aranha, e o primeiro filme da Trilogia com Tobey foi realmente marcante!
    Lembro de assistir diversas vezes sem enjoar. Já desse não posso falar o mesmo.

    Apesar do terceiro filme ter me decepcionado, ele ainda assim é um bom filme, ainda que inferior aos dois primeiros.

    Concordo contigo Fernando. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Alexandre!
      E tbm concordei com oq a Camila disse!

      E qnto ao seu comentário, concordo tbm q o terceiro eh o mais decepcionante da trilogia, mas que não deixa de ser um bom filme. Diferente desse, que além de ser bem inferior a trilogia é ainda um filme mto fraco!

      Tenho a trilogia em casa e as vezes assisto e esse não me deu vontade d ver outra vez!

      Excluir
  6. The amazing spiderman é um lixo, sem chances de chegar aos pés da trilogia do Sam Raimi.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário #NuncaTePediNada