sábado, 26 de dezembro de 2009

Crítica: Atividade Paranormal (Paranormal Activity, 2007)


Aconteceu com Cloverfield e [Rec], filmes de "terror" que fazem sucesso na internet e de repente chegam ao cinema e viram febre, filmes de baixo orçamento mas que dão o que falar. Dessa vez é o terror Atividade Paranormal, filme com pouca propaganda mas que virou um grande fenômeno.


por Fernando

Mais uma vez, a câmera está lá, como se fosse um vídeo caseiro, quando introduziram isso ao cinema foi bem interessante, em A Bruxa de Blair, [REC] e O Casamento de Rachel isso foi um grande ponto positivo, dando mais realismo as tramas. Isso repete em Atividade Paranormal, ainda é interessante, mas deixou de ser novidade.

Na história, um casal se muda para uma nova casa, Katie e Micah são felizes, mas um pequeno detalhe anda atormentando os dois. Katie desde criança sentiu ser perseguida por fantasmas, espíritos que de certa forma querem se comunicar com ela, ela não sabe o porquê, e desde então vive se mudando de casa, acreditando que um dia vai encontrar a paz, e depois de casada isso passou a atormentar Micah, seu marido, que faz de tudo para acalmar Katie e mostrá-la que tudo vai dar certo. Eles se mudam, mas as assombrações voltam, toda noite, elas atormentam Katie, que sofre, não dorme e tira a paz e harmonia do casal.


Cansados dessa triste rotina e decididos a acabar com tudo isso, eles decidem chegar a uma conclusão e provar a eles mesmos que realmente existe algo e não é somente ilusão. Micah compra uma câmera e instala no quarto, para que no dia seguinte eles possam verificar se algo aconteceu, pois as aparições são sempre a noite, no quarto de Katie. No início o casal acaba levando na brincadeira, não achando que algo realmente assustador pudesse acontecer. Nas primeiras noites, nada, mas depois vultos são capturados pela câmera. As luzes do corredor acendem e apagam sozinhas, a porta do quarto se movimenta, e até a parte assustadora quando os lençóis da cama se movimentam!! A verdade estava ali, tinha algo na casa. Contratam uma espécie de exorcista para benzer a casa, mas nada ocorre, e mais para frente eventos assustadores começam a rondar a vida do casal, uma foto de Katie criança é encontrada no sótão exatamente acima da cama deles, um quadro do casal é encontrado rachado exatamente no rosto de Micha como se fosse uma grande ferida, entre outros eventos aterrorizantes que prefiro não comentar para não estragar as surpresas.


Agora você deve estar pensando...Puxa, que legal!! Mas vou logo adiantando, não crie expectativas sobre esse filme como eu fiz, pois vai sentir o que eu senti, além do medo, uma grande decepção. Infelizmente nada é tão surpreendente quanto parece ser, todas as cenas que deveriam realmente assustar são introduzidas no longa exatamente na mesma hora, no momento em que o casal está dormindo, é quando pensamos...Ah! Agora vai acontecer alguma coisa...e surpresa!!...realmente acontece!! Ou seja, nada de surpresas. Aliás, para não falar que não teve nada de surpresas, até que teve, mas já era na última cena, então, tarde demais para recuperar a tensão perdida durante toda a projeção.

O início é ótimo, temos a sensação de estarmos diante de um dos melhores de terror, que o filme vai crescer e coisas incríveis e surpreendentes iriam acontecer, mas não acontece. Até que acontece, uma coisa aqui, outra coisa ali, mas tudo tão previsível. O humor é bacana, quando a inusitada situação de comprar a câmera invade o cotidiano do casal é tudo muito espontâneo, realista, natural. O casal é ótimo em cena, parecem um casal de verdade, que realmente vivem há anos juntos, pois a naturalidade a que eles contracenam é brilhante. E diante dos sustos, dos trágicos e assustadores eventos, a atitude e reação deles é extremamente compatível com a realidade.

Atividade Paranormal vai cansando da metade para o final, os sustos deixam de ser surpresas, o final é realmente assustador e isso é inegável, mas, o que adianta ter um final tão interessante e aterrorizante num filme de terror sendo que todos os outros minutos foram um grande desperdício? Poderia ter sido melhor, o roteiro poderia ter sido mais original e mais ousado, alternando as situações e não permitindo que o longa caísse na mesmice. É uma pena. E ainda há boatos de uma continuação...

NOTA: 4

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário #NuncaTePediNada