quarta-feira, 30 de setembro de 2015

22 FILMES QUE PRECISAMOS VER ATÉ O FINAL DO ANO


Os dias estão voando e em breve chegaremos ao final de 2015. Já tivemos a chance de ver excelentes filmes este ano, no entanto, ainda há alguns títulos interessantes a serem lançados até dezembro. Pensando em me organizar e preparar o emocional de outros cinéfilos, resolvi fazer uma lista de tudo que está para chegar nos cinemas. Desta forma, selecionei 22 obras na qual tenho maiores expectativas e que prometem ser mais relevantes.

Preparem as agendas e os bolsos!

por Fernando Labanca

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Crítica: Entre Risos e Lágrimas (Obvious Child, 2014)

Comédia independente que fez sucesso pelos Festivais que passou mas que acabou tendo um destino injusto aqui no Brasil, sendo lançado diretamente na TV. Bastante original, o longa se destaca por sua coragem em debater assuntos pesados de forma leve e descontraída, além de revelar o talento de Jenny Slate.

por Fernando Labanca

Donna (Slate) é quase como uma versão masculina de Louis C.K, em sua série Louie. Comediante sem muito sucesso, ela sobe aos palcos em pequenos bares para apresentar seu stand up. Entre os dramas de sua vida, é lá que ela sente força em fazer piada de toda sua desgraça, como forma de encontrar alguma lógica em sua vida sem rumo. Após ser abandonada por seu namorado e despedida de seu emprego, Donna chega a conclusão que tudo, definitivamente, está perdido. É neste momento de crise, que ela acaba conhecendo o bom rapaz Max, com quem passa uma noite. Pouco tempo depois, ela descobre que está grávida e não sabe como lidar com esta novidade, parte porque não quer envolver um cara que mal conhece em toda essa confusão e parte porque tem a certeza de que não tem maturidade e nem condições de criar um filho.


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Crítica: Que Horas Ela Volta? (2015)

No começo deste ano, algo surpreendente aconteceu: um longa-metragem brasileiro venceu um importante prêmio de atuação no Festival de Sundance, consagrando, assim, as atrizes Regina Casé e Camila Márdila, além de ser premiado no conceituado Festival de Berlim. Tal repercussão internacional elevou a expectativa em torno de "Que Horas Ela Volta?". A verdade é que, mais do que superar aquilo que prometia, a obra é tão fantástica que passa a ser, facilmente, um marco no nosso cinema atual.

por Fernando Labanca

Regina Casé interpreta Val, que deixou sua pequena filha em Pernambuco para trabalhar como empregada doméstica em uma mansão de São Paulo. Além de cuidar da casa, ela acaba cuidando de Fabinho, o único filho dos patrões Bárbara (Karine Teles) e Carlos (Lourenço Mutarelli). Morando integralmente no local, Val é como se fizesse parte da família e acredita ser tratada como tal, até que, treze anos depois, recebe uma chamada inesperada de sua filha Jéssica (Camila Márdila), que diz estar indo para São Paulo devido a uma prova de vestibular. Os patrões a recebem de braços abertos até o momento em que ela se mostra contra as "regras" de convivência ali instauradas, e quase como num ato de rebeldia, começa a questionar o que faz dos donos da casa tão superiores à sua mãe.


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Crítica: Corrente do Mal (It Follows, 2014)

O terror é um gênero que pouco tem nos oferecido algo de bom, por isso é tão compreensível a fama repentina de "It Follows" e como muitos já o tem citado como um dos melhores dos últimos anos. Não que seja uma obra-prima, mas ao menos é um produto de qualidade, que vai além do que estamos acostumados a ver. É um filme que respeita o cinema e o seu público.

por Fernando Labanca

A premissa de "Corrente do Mal" pode parecer bem bizarra, e de certa forma, até é. No entanto, seu roteiro é tão bem trabalhado e a construção de seu universo é tão sólida e convincente, que a ideia, ao longo do filme vai se tornando interessante e bastante promissora. Basicamente, é sobre uma força maligna transmitida através do sexo, onde o mal ganha forma de uma pessoa, seja conhecida ou não, e que ninguém mais vê a não ser o novo portador dessa maldição. Esse ser tentará matá-lo e a única maneira de se livrar é justamente transando com outra pessoa. O longa começa quando a jovem Jay (Maika Monroe), que após um encontro sexual, começa a ser atormentada por estranhas visões, além de ter a constante sensação de que está sendo perseguida. Assim que descobre a verdade, ela, ao lado de seus amigos, tenta encontrar uma maneira de dar um fim e não apenas dar continuidade a esta corrente.