sábado, 26 de setembro de 2009

Crítica: Arraste-me para o Inferno ( Drag Me to Hell )


Voltando às origens, Sam Raimi faz de Arraste-me para o Inferno, um bom filme. Porém,a falta de firmeza e de sustos convincentes faz dele também um exemplar fraco do gênero.

Por Bárbara

Sam Raimi, depois de fazer um estrondoso sucesso no comando da trilogia Homem-Aranha, voltou às suas raízes com Arraste-me para o Inferno. Um belo retorno, diga - se de passagem , do talentoso cineasta que deu as caras pela primeira vez no cinema com A Morte do Demônio (Evil Dead ,1981).

No entanto, o que poderia ser novamente uma pérola do gênero em tempos tão difíceis infelizmente não passa de uma mistura desequilibrada de comédia e horror, oscilando entre momentos de suspense e tensão com outros simplesmente risíveis. Quem sou eu para criticar Sam Raimi, mas ao meu ver,se "Arraste-me.." tivesse mantido a seriedade necessária para ser um bom e assustador filme de horror,seria uma experiência totalmente satisfatória para o espectador.

Mas também não sejamos tão exigentes. É claro que se tivesse seguido essa vertente,poderia ser uma boa pedida para os fãs mais ardorosos. Mas Sam é tão bom no que faz que "Arraste-me.." acaba por conquistar por ser um filme simples, entretanto muito bem feito, recheado de efeitos especiais, com boas atuações e um final digno de aplausos.

No longa, Alison Lohman é Christine Brown, uma esforçada analista de crédito de olho em uma promoção, pois percebe que seu chefe ainda não escolheu quem vai ocupar o cargo de vice-diretora da empresa.Além de ter um bom emprego e uma boa oportunidade de crescimento profissional, ela namora o apaixonado e dedicado Clay Dalton ( Justin Long ), que faz de tudo para ficar ao lado dela, mesmo não tendo a aprovação de sua mãe, Trudy Dalton ( Molly Cheek ), que prefere ver seu filho namorando uma advogada recém - formada com honras em Yale do que uma fazendeira que deu sorte na cidade grande.

Essa vida praticamente perfeita muda drasticamente com a chegada de uma anciã chamada Sylvia Ganush ( Lorna Raver ) , que estava prestes a perder sua casa pela falta de pagamento da hipoteca.Ela foi ao banco onde Christine trabalha para tentar uma renegociação de prazo da hipoteca, e assim, não perder sua casa.Sentindo dó da pobre idosa, Christine até pensa em renegociar o pagamento da dívida, mas para impressionar o seu chefe e conseguir a promoção, nega o pedido da Sra Ganush. Ela, que viu que estaria na rua da amargura, fica de joelhos e implora à Christine que a ajude e faz um verdadeiro carnaval no recinto.Assustada, Christine acaba por chamar os seguranças para retirar a velha do local. Quando estava indo para casa, Christine acaba sendo atacada pela insandecida senhora e luta com ela no seu carro.Dizendo que Christine a humilhou quando ela lhe implorou ajuda, Ganush lhe rouba um botão de seu suéter e lhe lança uma maldição terrível.Naquela mesma semana, Christine seria arrastada até o inferno pelo demônio Lâmia.

Christine, a princípio, não leva tudo aquilo muito a sério. Depois de sofrer com alucinações envolvendo a aterrorizante figura da velha,recorre a um médium, Rham Jas ( Dileep Rao ), para que se livre da terrível maldição. Até mata o seu amado gatinho de estimação para sobreviver deste inferno que se tornou a sua vida.

Depois de sofrer muito com as alucinações, que se tornam muito frequentes e assustadoras,ela descobre que há uma médium muito poderosa que pode salvá-la,expulsando Lâmia deste plano antes que ele consiga arrastar Christine para as profundezas do inferno.Mas como há um grande risco de vida, a tal médium cobrou 10.000 dólares para fazer o servicinho.O problema é que, mesmo vendendo todos os seus objetos de valor,Christine não consegue arrecadar nem a metade do dinheiro que precisa.Então, entra na jogada o seu querido namorado Clay, que a princípio é bastante cético, achando que a namorada estava sofrendo de estresse pós traumático ( é claro que ele não acerditaria nesta parafernalha de demônios, o cara é psicólogo ! ) por conta do ataque da idosa contra Christine, acaba por acreditar ( em parte ) nos lamúrios de sua amada, que ficava mais perturbada a cada dia,e lhe dá o dinheiro para fazer o ritual.

Como disse, o longa é uma mistura de gore, humor negro e elementos de horror. É uma pena que isso atrapalhe um pouco o andamento do filme, pois algumas sequencias são um tédio só!Outras são de rolar de rir, como exemplo, cito a cena em que um homem está possuido pelo Lâmia,ri e dança histericamente.Hilário!No entanto, há outras que são de gelar a espinha e proporcionam bons sustos, ainda que nem todos assustem de fato.Ainda há os efeitos especiais, que em alguns momentos incrementam a película e outros que, sinceramente, acabam por estragar e tirar o impacto das cenas.

Referente ás atuações, Alison Lohman está razoável como a protagonista. Como o filme, sua interpretação oscila, entre o ápice do desespero e os momentos totalmente inexpressivos. Justin Long está " no ponto" como Clay.Ele, apesar de ser cético, em nenhum momento é arrogante ou abandona Christine quando a situação fica insustentável. Muito pelo contrário, mesmo não acreditando em espíritos, demônios e afins,dá total apoio à namorada e Justin se encaixou perfeitamente neste papel,se mostrando como um perfeito cavalheiro. Lorna Raver, como a diabólica Sra Ganush está assustadora e repugnante ao extremo. Sinceramente, não sabia se sentia medo ou nojo dessa senhora.

Mesmo não sendo deveras assustador, Arraste-me para o Inferno é uma boa pedida para os fãs de cinema, não necessariamente de horror.É uma boa oportunidade de conferir que o talento de Sam Raimi não está restrito a franquia Homem - Aranha. É ver e tirar suas próprias conclusões, principalmente por causa do final ousado e bastante pessimista.

NOTA: 8

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário #NuncaTePediNada