sexta-feira, 9 de maio de 2014

Crítica: Um Brinde à Amizade (Drinking Buddies, 2013)

Escolha sua bebida, sinta-se entre um grupo de amigos jogando conversa fora, em um dia qualquer, num bar qualquer e prepare-se para a ressaca que sentirá ao final deste filme.

por Fernando Labanca

"Um Brinde à Amizade" é mais uma exceção à regra das comédias românticas. Com ar descompromissado, os atores esbanjam naturalidade em cena, e a trama surpreende ao não cair nas armadilhas do gênero, oferecendo um final bastante original, além de todo o seu decorrer que em nada me lembrou outro filme. Acompanhamos a vida de dois amigos, Kate (Olivia Wilde) e Luke (Jake Johnson), que trabalham em uma fábrica de cerveja e sempre que podem, separam algumas horas do dia para beber e conversar. Há entre eles uma bela sintonia, entretanto, ambos estão compromissados, ela com o responsável Chris (Ron Livingston) e ele com a professora Jill (Anna Kendrick). Eis que em um final de semana, os quatro decidem se reunir para uma viagem no campo, e entre bebidas, todos terão suas amizades testadas, é quando sentimentos antigos vem a tona e novos desejos são revelados.

O que mais me impressionou nesta obra, e isso me ocorreu já nos primeiros minutos, foi o realismo mostrado em cena, seja dá ótima composição desses personagens e a naturalidade com que os atores se entregaram, mas também de toda a construção deste "universo", dos momentos no trabalho e aquela liberdade que nasce entre os "buddies", às conversas nos bares, tudo é mostrado de forma crível, extremamente próximo à realidade, e por isso os dramas e conflitos que acabam nascendo se tornam tão aceitáveis, pois já estamos muito bem inseridos naquele mundo.


Curioso é o fato de não existir exatamente um roteiro, apenas algumas ideias e ações já pré-definidas, deixando a liberdade fluir em cada momento, de acordo com cada necessidade. Por isso vemos em cena esta naturalidade, chega a ser gostoso admirar os atores tão a vontade, dizendo coisas sem noção, por pura espontaneidade. Afinal, a vida entre amigos é isso mesmo, e a se a intenção era ser realista, eles acertarem e muito. Entretanto, ao mesmo tempo em que esta naturalidade e "improviso" deixa as relações mais interessantes, algumas vezes o filme acaba se perdendo em diálogos vazios, momentos decisivos na vida dos personagens são desperdiçados por discussões sem sentido, onde os atores falam, falam e falam, mas não dizem nada. e por fim, alguns conflitos são resolvidos de forma rasa.

Olivia Wilde nunca esteve tão bonita, mesmo com seu rosto "lavado", tivemos a chance de ver a crueza de suas expressões, sua real beleza, a beleza de uma mulher como qualquer outra e isso foi fundamental para a personagem. Senti que pela primeira vez eu vi Olivia Wilde e foi bom, não que tenha sido uma atuação incrível, mas seu esforço é admirável e fez um bem enorme à obra. Foi bom ver também a ótima química entre ela e Jake Johnson, ainda que ele não fuja muito dos outros papéis que já interpretou, é um sujeito interessante, que diverte. O restante do elenco são bons mas ficam perdidos na trama devido à sintonia do casal principal de amigos, como Anna Kendrick, Ron Livingston e Jason Sudeikis.

Apesar do clima despojado e descompromissado, "Drunking Buddies" não deixa de ser um filme melancólico, a naturalidade das ações convergem a trama para um fim um tanto quanto surpreendente, maduro, foge da fórmula, ao mesmo tempo em que é coerente com a construção dos personagens e com a história, é realista, seco, ainda assim, adorável. O filme aborda as relações de forma honesta, expõe as frustrações da vida adulta, de pessoas que na verdade não cresceram tanto assim, que pedem auxílio à bebida, como um grande companheiro, às vezes também como um escape de uma realidade que eles não conseguem controlar, nem mesmo compreender. Poucos roteiros conseguiram mostrar tão bem esta amizade entre duas pessoas de sexo oposto, pois sim, homens e mulheres também podem ser só amigos. Mesmo com suas falhas, mesmo que nem tudo funcione tão bem, a obra merece certo respeito, é ousada em sua proposta. E sim, depois de assistirmos os atores beberem tanto durante esses minutos - e alguns atores já revelaram que chegaram a beber de verdade durante as gravações - deixa a sensação que ficamos de ressaca junto com eles. Recomendo.

NOTA: 8




País de origem: EUA
Duração: 90 minutos
Distribuidor: Sony Pictures
Elenco: Olivia Wilde, Jake Johnson, Anna Kendrick, Ron Livingston, Jason Sudeikis
Diretor: Joe Swanberg
Roteiro: Joe Swanberg


2 comentários:

  1. Assisti esse filme
    Achei ótimo
    Mas como sempre anna Kendrick fez o mesmo papel dramático como ela sempre faz em todos os filmes
    Ela não é engraçada em nenhum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até gosto dela, mas nesse filme ela está realmente bem apagada e infelizmente tem repetido a atuação nos últimos q tem feito.

      Excluir

Deixe um comentário #NuncaTePediNada