sexta-feira, 25 de julho de 2014

Crítica: Amor Fora da Lei (Ain't Them Bodies Saints. 2013)

David Lowey dedicou grande parte de sua carreira no cinema como editor - em obras como o recente "Upstream Color (2013)" - e podemos afirmar que está seguindo um caminho interessante como diretor. Não vemos aqui um filme marcante, entretanto, realizado com tanto cuidado que acaba se firmando como um dos bons títulos do western contemporâneo.

por Fernando Labanca

O western, aos poucos, parece reencontrar seu espaço nos cinemas. Os irmãos Coen, ao realizarem o remake "Bravura Indômita" provaram o quão o gênero ainda poderia mostrar e Andrew Dominik trouxe, de forma única, a beleza que a sétima arte pouco viu nos últimos anos, com seu magnífico "O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford", onde Lowey parece ter buscado alguma inspiração. Destaques da obra, sua montagem e a fotografia - no qual venceu o prêmio no Festival de Sundance ano passado - remetem aos trabalhos de Terrence Malick, que desde o início de sua carreira, soube, como ninguém, revelar a beleza do campo, e mais do que isso, revelou o cinema como um instante de pura contemplação. "Amor Fora da Lei" é mais uma chance do western no cinema contemporâneo, e bebendo das fontes certas acaba por realizar um filme interessante, se apropriando bem de suas referências, e por fim, construindo uma obra original.

O trama acontece no Texas, onde um casal, Ruth (Rooney Mara) e Bob (Casey Affleck) vivem uma vida de crimes, até que são pegos e numa batalha armada, ela acaba ferindo o policial Patrick (Ben Foster). Bob decide levar a culpa, indo preso, para salvar a pele da mulher que ama, que por sua vez, está grávida. Anos depois, ele foge da prisão e tem como único intuito, reencontrar Ruth, entretanto, muitos percalços aparecerão para impedi-lo. Enquanto isso, ela tenta seguir com sua vida, cuidando da pequena filha, sempre à espera de vê-lo novamente, até que o policial Patrick começa a visitá-la, oferecendo proteção e dando indícios de um novo começo.



"Ain't Them Bodies Saints" desenvolve uma história de amor diferente. O casal protagonista pouco contracena e o que vemos é justamente como cada um lida com esta distância, ambos vivendo da consequência do fatídico dia em que Bob é preso. Ele sobrevive para retornar. Ruth vive com a culpa, por ele ter sofrido o erro que ela cometeu, sabe que jamais poderão ficar juntos, mas ainda assim, sobrevive para ver seu retorno, para apenas dizer que o ama, para dizer o que passou durante esses anos, o que sentiu durante este tempo. Ruth se fecha ao mundo, como se sua intimidade pudesse apenas ser dividida com Bob. É uma história de amor que nunca acontece, dele que foge mas nada alcança, dela que sempre diz em fugir e recomeçar, mas permanece presa na própria rotina, é sobre esses dois mundos que nunca se colidem, desses personagens tão melancólicos vivendo sob o peso de suas frustrações.

O elenco é dos bons, entretanto ainda tenho minhas ressalvas quanto ao casal principal. Apesar de Rooney Mara e Casey Affleck serem excelentes atores - e a incrível carreira que ambos construíram é a prova disso - achei eles um tanto quanto limitados. Casey recicla alguns seus trabalhos anteriores e Rooney me soa tão séria, que é realmente difícil cria uma certa empatia ou qualquer conexão com sua personagem. O grande momento dos dois em cena, porém, é o instante em que são separados pelos policiais, onde se esforçam, ainda que algemados, pelo provável último toque. A cena é belíssima, mesmo que rápida e simples, marca um dos melhores momentos do longa. Os coadjuvantes, entretanto, dão conta do recado, Ben Foster, mais uma vez, excepcional e Keith Corradine surpreende em suas aparições, ambos surgem na tela com personagens interessantes, de certa forma, bastante enigmáticos.

Visualmente, "Amor Fora da Lei" é impecável. Fotografia, iluminação, enquadramentos, enfim, é puro deleite e esta beleza tão bem orquestrada por David Lowery ganha proporções ainda maiores quando a fantástica trilha sonora entra em ação. Trata-se de um western lento, que poderá até cansar alguns, sua trama se desenvolve de forma bem monótona, entretanto, a edição é bem realizada e o roteiro nos instiga a permanecer na história, onde por opção, acaba que deixando algumas lacunas, sempre esperando mais de seu público, onde partes da trama ocorrem em nossa mente e não na tela. Ao seu final, senti sim uma sensação de "poderia ter ido além", seu final é pouco conclusivo, mas faz parte desta proposta de Lowery, que confesso, não adentrei por completo, é cansativo e grande parte da ação ocorre em seu começo, sobrando pouco para seu decorrer. Ainda assim, por toda sua coragem e pelo bom uso de suas referências, "Ain't Them Bodies Saints" se mostra um western competente, e mesmo que não seja marcante, é de uma qualidade admirável.

NOTA: 7,5





País de origem: EUA
Duração: 96 minutos
Distribuidor: Paris Filmes
Elenco: Rooney Mara, Casey Affleck, Ben Foster, Keith Corradini
Diretor: David Lowery
Roteiro: David Lowery

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário #NuncaTePediNada