sábado, 4 de julho de 2009

Especial Watchmen - Parte 6/13

Especial Watchmen




Capítulo 6 - O Abismo também Contempla


Por Bárbara



Bom,depois de dois meses, estamos de volta com o Especial Watchmen, agora no capítulo 6, "O Abismo também Contempla", parte que nos mostra as sessões de terapia psicológica no qual Rorschach foi submetido, com o Dr. Malcolm Long sendo o seu terapeuta. Dessa forma, aos poucos vamos descobrindo como Rorschach se tornou uma pessoa tão doente e solitária.Vemos que a mãe dele, que era uma prostituta, tinha boa parte da culpa por ele ter se tornado tão violento e paranóico, pois além da profissão nem um pouco convencional, que rendia comentários e preconceito para com o pequeno Walter, ela ainda o tratava muito mal, com direito a sessões de tortura psicológica e espancamento.Ela dizia ao garoto que devia ter abortado quando descobriu estar grávida dele.



Mas a culpa também não foi só dela.A sociedade em geral presenciava os maus tratos que Walter sofria, não só de sua mãe, mas também de outras crianças.Há uma passagem nesse capítulo no qual Rorschach estava na sua cela e se lembra de dois meninos que tentaram machucá-lo quando ele estava passando pela rua.Os dois o xingaram com nomes como : safado, filho de puta e diziam para ele que ele estava cheio de doenças.Jogaram sujeira na cara dele, até que ele reagiu e queimou o olho de um dos garotos com a bituca de cigarro e um deles estava fumando.Jogou o outro no chão e lhe arrancou um pedaço da bochecha à dentadas.



Ao invés das pessoas tentarem entender, elas somente o chamaram de cão raivoso.A raiva de Rorschach aumentava ainda mais, e ele só tinha 10 anos.
Tempos depois, constatado os maus tratos, ele foi viver em uma instituição para crianças problemáticas e conseguiu se recuperar.Era um aluno brilhante, principalmente com literatura e esportes, mas continuava fechado.Foi quando soube do assassinato de sua mãe, que ele apenas respondeu como "ótimo" e nunca mais falara sobre o assunto.


Quando tinha 16 anos deixou a instituição e arrumou emprego numa empresa de confecções.Foi lá que ele tomou contato com o tecido que constitui sua máscara, no qual era uma encomenda de uma cliente que acabou desistindo, achando o vestido muito feio.Ele o levou para casa, o cortou e ele se transformou na sua máscara, mas Rorschach nem a usou.Dois anos depois, a mesma mulher que tinha encomendado o vestido é estuprada, torturada e morta de frente para o seu prédio, com todos os vizinhos ouvindo os seus gritos e com alguns até olhando a cena, mas ninguém chamou a polícia.Rorschach ficou transtornado e resolveu agir.Os seus tempos de vigilância começaram.


Porém como o próprio Rorschach disse ao terapeuta, ele ainda não era Rorschach.Era apenas Walter Kovacs fingindo ser Rorschach.O verdadeiro dia em que ele se transformou em Rorschach foi quando ele descobriu o cativeiro de uma menina de 6 anos que fora sequestrada por que teve seu sobrenome ligado ao importante laboratório farmacêutico ( Roche ).Na verdade, os pais da crianças eram pobres, o pai era somente um simples motorista de ônibus.

Quando Rorschach chegou ao cativeiro, percebeu que a menina estava morta, pois encontrou vestígios em um forno.A menina foi morta e seu corpo queimado.Rorschach, novamente transtornado, foi até a janela e viu que tinha dois cães brigando por um osso, que provavelmente eram da menina.Matou os cães com um cutelo de açougueiro e esperou o sequestrador voltar.

O sequestrador voltou e então Rorschach jogou os dois cães com a cabeça rachada ao meio em cima dele.Tentou fazê-lo confessar o crime e não obteve sucesso.Resolveu então amarrar o homem numa cadeira e incendiar a casa, esperando que ele pedisse para ser solto ou confessasse algo.Nenhuma das duas coisas aconteceram e então o homem morreu queimado vivo.




Outra passagem interessante desse capítulo é quando Rorschach sai da terapia com o Dr. Malcolm e vai até a cantina, pois era a hora do almoço.Como foi ele quem prendeu a maioria dos detentos quando era vigilante, ele sofria muitas ameaças e um detento o ameaçou com um objeto pontiagudo, parecido com uma chave inglesa.Sem cerimônia, Rorschach enfiou a mão por dentro do balção por onde era servida a comida aos prisioneiros, pegou o tacho de óleo fervendo onde as batatas estavam fritando e jogou na cara do sujeito.Daí soltou umas das frases mais célebres de Watchmen:"Vocês não entenderam.Não sou eu que está preso aqui com vocês.Vocês é que estão presos aqui comigo".



Em suma, outro episódio envolvente de Watchmen, que quanto mais vai se aproximando o final da história, melhor ela fica.


Nota:9

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário #NuncaTePediNada