sábado, 25 de julho de 2009

Crítica: A Proposta (The Proposal, 2009)


Sandra Bullock retorna em mais um filme de comédia, porém, mais uma vez, a atriz acerta, e ao lado de Ryan Reynolds, fazem de A Proposta uma das melhores comédia românticas do ano.


por Fernando

No filme, Sandra Bullock interpreta Margaret Tate, uma poderosa, autoconfiante, perfeccionista e arrogante editora de livros em Nova York. Ela trabalha duro para alcançar seus objetivos dentro da empresa, mesmo que isso signifique ter que pisar em cima de todos ao seu redor, humilhá-los na frente de muitos e demitir outros para não perder a pose de diretora eficaz. Para isso, há três anos ela conta com a ajuda de Andrew Paxton (Ryan Reynolds), seu secretário, que anota seus recados e faz de tudo para ser reconhecido no trabalho. Andrew é o típico bom rapaz, que ama a família e sonha em conseguir publicar seu livro e assim, subir de carreira, mesmo que isso signifique ter que aturar a pior das piores chefes, que o atormenta todos os dias.

A confusão começa quando, Margarett recebe a desagradável notícia de que será deportada para o Canadá, seu país de origem, pois está ilegalmente vivendo nos Estados Unidos, e isso, para ela, é o fim de tudo, fim de sua carreira, de tudo o que ela "plantou" no novo país. Para resolver seu probleminha, ela repentinamente revela para o oficial de imigração que vai se casar com um americano em breve, o que a torna legalmente uma americana, no entanto, o felizardo nada mais é do que seu auxiliar, Andrew, que chocado, não consegue reagir diante da notícia surpreendente de que vai se casar com a pessoa mais detestável. Ele aceita ajudá-la a ficar no país, se casando com ela, porém, ele impõe algumas condições, de que ela o ajudaria, publicando seu livro e lhe dando uma promoção no trabalho, proposta aceita, o jogo começa.

Entretanto, nada vai ser tão fácil assim, Margaret terá que provar que vai realmente se casar com ele, e mais que isso, terá que provar que tem um relacionamento verdadeiro e estável com Andrew, caso contrário, fora do país. Para isso, Margaret tem a idéia de viajar com o "noivo" para um final de semana com a família dele, o que ela não imaginava, é que a adorável família Paxton vive no Alasca. Agora os dois precisam viajar para provar para todos na família dele que eles se amam de verdade, logo que serão eles quem darão os depoimentos para a polícia. Em sua família, vemos uma mãe adorável e sua avó, um tanto quanto, pervertida e cheia de surpresas, e um pai distante que tem problemas com Andrew, principalmente quando recebe a notícia de que seu filho vai se casar, e acredita que ele está usando a chefe para subir de cargo na empresa. Andrew, por sua vez, tenta resolver seus conflitos com ele, ao mesmo tempo que reencontra com uma antiga namorada, a bela Gertrude (Malin Akerman), e ao mesmo tempo, tenta provar para todos que ama Margaret, que tem uma certa dificuldade em aceitar sua nova realidade, logo que ela é acostumada com a vida corrida da cidade. Margaret também terá esses dias para descobrir o máximo que puder sobre ele, pois mesmo depois de tanto tempo trabalhando ao lado dele não sabe nada sobre sua vida. E nesse lugar tão distante, ela acaba vivendo a mais inusitada aventura de sua vida que se resume ao trabalho, trancada no escritório. E nesse período, Margaret descobre um novo Andrew, sua passado, suas angustias, seus medos, seus maiores conflitos, e descobre que há uma alma dentro de cada terno que vê no seu dia-a-dia.

Andrew e Margaret anunciam a todos que vão se casar, a família fica surpresa pelas coisas estarem indo tão depressa, mas aceitam, e optam por eles se casarem ali mesmo, na capela da cidadizinha onde moram, e fazem todos os preparativos, e a durona Margaret se surpreende com a atitude da família de ajudar em todas as situações, aliás, ela percebe que havia esquecido o que isso significava. E mentir para todos eles acaba ficando cada vez mais difícil para ambos.

A Proposta é simplesmente hilário, do começo ao fim. O casal se coloca em uma situação tão cômica que diverte facilmente o público. É realmente muito engraçado ver Margaret e Andrew mostrando para todos que se amam, contando todas as mentiras, como foi o dia em ele a pediu em noivado, a vida de noivados, os costumes do casal, as histórias, até quando se beijam é hilário. E mais que isso, o roteiro os coloca em situações extremamente cômicas, como a cena em que se esbarram completamente pelados no quarto dele ou quando fingem que durmiram juntos para não assustar a família. Isso, é claro, não seria tão divertido sem a presença de Sandra Bullock e Ryan Reynolds. Os dois atores estão perfeitos em seus respectivos papéis. Sandra é ótima, e mesmo que já tenha feito tantas comédias, parece nunca perder o gosto, é sempre bom vê-la em situações engraçadas, ela faz tudo ser mais engraçado do que realmente é, mas ela vai além em A Proposta, ela prova que não é humorista, é uma atriz, acima de tudo, que consegue oscilar entre uma boa cena de comédia com uma ótima cena, tanto dramática quanto romântica. Ryan Reynolds surpreende nesse filme, mostrando que consegue arrancar gragalhadas do público, trabalha muito bem na comédia, e ao lado de Bullock, os dois fazem um casal extremamente divertido e carismático na longa.

A diretora Anne Fletcher, já havia se dado bem em outra comédia romântica, em Vestida Para Casar, a diretora constrói junto com bons atores, boas cenas tanto cômicas quanto românticas. Mas ela evolui, e faz melhor em A Proposta, que acerta num gênero que está ficando cada vez mais batido, mas ela inova, construindo um filme não só divertido, mas também, original.

A Proposta é um daqueles filmes que saímos dando risada, relembrando as cenas engraçadas e com vontade de conversar com alguém para contar todas as coisas divertidas que ocorreram. Claro, o filme também não acerta em tudo, há cenas patéticas que chegam ao ridículo, mas é simplesmente impossível não dar risada, porque há uma coisa essencial em cena, Sandra Bullock, que mesmo diante do rídiculo, é realmente engraçada, aumentando o nível do filme, tudo fica engraçado com ela em cena, até mesmo as cenas patéticas que poderiam ter dado errado nas mãos de outra atriz.

Veja, mesmo que não curta comédias românticas, veja por Sandra Bullock ou por Ryan Reynolds, ou para dar risadas, mas não deixe de ver. Um filme descomprometido, divertido, não deixa de ser inteligente e muito bem dirigido em determinadas cenas, que aliás, há cenas não tão cômicas que são extremamente bem feitas, graçás, também, aos atores com performances que chamam a atenção, como a cena em que conversam a noite, deitados na cama, e ela conta sobre sua vida, sobre sua infância e no final cantam sua música predileta na juventude, excelente! Não só essa, como várias outras, atores competentes que não só nos divertem mas também nos comovem. Dinamismo, sensibilidade, originalidade e competência dos atores fazem de A Proposta a melhor opção para essas férias, o filme mais completo em cartaz (nos cinemas mais comerciais). Assista!!

NOTA: 9

Um comentário:

  1. Adoro Sandra Bullock!

    Lembra de Miss Simpatia???Aquele eh o meu filme...hehehehe

    Adoro Ryan Reynolds...( lindo )...

    Vou assistir mas não no cinema...

    O próximo eh G.I Joe!

    Boa crítica..gostei..

    ResponderExcluir

Deixe um comentário #NuncaTePediNada