domingo, 25 de janeiro de 2009

Dica de DVD: Na Mira do Chefe


Na Mira do Chefe é uma comédia que chegou aos cinemas no ano passado e não teve muita atenção da mídia e nem do público. Agora, chegou nas locadoras e com outra cara, gráças ao Globo de Ouro entregue ao ator Colin Farrell, além de ter sido indicado nas categorias de Melhor Filme-Comédia. E hoje é um dos favoritos para ganhar o Oscar de melhor roteiro original na qual foi indicado. Uma surpresa muito grande para todos que acreditavam que esse filme seria só mais comédia dentre tantas já existentes.

por Fernando

Dirigido e roteirizado pelo estreante em longas metragens Martin McDonagh, Na Mira do Chefe é uma pérola escondida do ano passado e está nas listas das premiações mais importantes do Cinema que começaram a ser lançadas. E não só por isso o filme é uma boa surpresa, pois não é o que parece ser. De olho na capa e no título do filme esperamos uma comédia com ação como muitos filmes já feitos, mas não pense nada a respeito desse filmes antes de assistí-lo, ele te surpreenderá, assim como me surpeendeu.
O filme conta a história de dois matadores, Ray (Colin Farrell) e Ken (Brensan Gleeson) que são enviados à Burges, isso porque acabaram de realizar um "trabalho" não muito bem sucedido e precisavam se afastar, e foram para lá a pedido de seu chefe Harry (Ralph Fiennes). Burges é uma cidade da Bélgica, que chama a atenção de muitos turistas por ter arquiteturas antigas e ser uma das poucas cidades com características medievais e com construções que até hoje não foram modificadas. Agora, Ray e Ken terão de ficar na cidade, obrigatoriamente, até que o chefe ligue e diga qual é a próxima missão.

Duas pessoas completamente diferentes. Ken adora a cidade, adora conhecer lugares novos e admiras os pontos turísticos, enquanto Ray deixa claro que odeia o fato de estar lá e não está afim de se divertir e agir como um turista normal, por muitas vezes age como uma criança imatura, é um homem frágil e descontrolado e tem um grande segredo guardado e que a todo momento é motivo de tristeza. No crime mal sucedido feito por eles, Ken e Ray teriam de matar um padre, Ray o mata, entretanto, o plano foge do controle e ele acaba matando uma criança inocente, e até hoje não se conforma com isso e nada o que ele faça mudará o que ele fez no passado.

O que Ray não espera é que surge uma bela moça, Chloe (Clémense Poésy) e será um bom motivo para ele querer ficar no local e junto com ela, ele vai viver um inusitado romance. E junto com Ken, ele vai se envolver em grandes confusões na cidade, isso inclui, uma briga com o namorado de Chloe, um golpe fatal em um ator anão e discussões com turistas americanos. Mas outra coisa que Ray não esperava é que a viagem faz parte de um plano mais complexo, Harry enviou os dois para Burges para Ray se despidir da vida, ou seja, Ken terá que matá-lo, como parte do combinado. No entanto, nada será tão fácil, e Ken não imaginaria que seria tão difícil matar um colega de trabalho, que aliás, nesta viagem, deixa de ser só um colega, pois Ray passa a dividir suas dores e emoções com ele e juntos vão descobrindo um pouco de si mesmos e com isso, revelando uma grande amizade. "Mas se você deseja um trabalho bem feito, faça você mesmo". Agora o perigoso gangster e chefe deles, Harry irá até Burges fazer o que Ken não conseguiu, e a cidade turística passa a ser um cenário de grandes confusões e tiroteios.

E no fim das contas, Na Mira do Chefe é uma comédia deliciosa, hilariante, brilhante e inovadora, com boas doses de ação e drama. O roteiro é ótimo e merece sua indicação ao Oscar.
E do início ao fim da projeção, o filme nos pega de surpresa, não só por ser algo que não parecia ser, mas por ter diálogos muito inteligentes e interessantes e por ser tão grandioso sem pretender ser. Se você esperava ver um filme de ação, assim como foi vendido, talvez se decepcione, não é um filme de ação, de mortes violentas e gratuitas com muito sangue, é uma comédia dramática com um toque de filme independente.

As atuações estão ótimas, principalmente do vencedor do Globo de Ouro, Colin Farrell, que particulamente nunca me chamou a atenção, mas nesse filme, com certeza, teve seu melhor desempenho. Ele consegue ser hilário sem dizer nada, só com suas expressões, e consegue arrancar boas risadas e emocionar o público em determinados momentos. Seu companheiro de cena, Brendan Gleeson (Harry Potter e o Cálice de Fogo) está ótimo também e constrói assim com Farrell uma grande personagem. Os dois funcionam muito bem juntos, formaram uma dupla divertida e graçás à eles o filme é tão bom. Ralph Fiennes faz um gangster bem diferente, engraçado e ao mesmo tempo, perigoso e humano, um pai de família que acima de tudo ama seus filhos.

As personagens são os grandes destaques do filme, são incrivelmente inteligentes e bem interpretadas e muito bem escritas. O filme é bem desenvolvido, vai crescendo e tem um final nada previsível. É diferente, por issso, merece ser visto e levado a sério.

Mas o que mais impressionou foi o fato das personagens serem tão humanas. Apesar de mostrarem dois matadores que acabaram de cometer um grande crime, o filme mostra a fragilidade deles, que apesar dos pesares, ainda existe um humano e um coração dentro deles. Na Mira do Chefe, nos conta uma história não sobre só um chefe correndo atrás de seu empregado matador e fracassado, conta uma história sobre valores éticos, honra, direito de cada um ter uma segunda chance e é claro, sobre amizade.

Nota: 9

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário #NuncaTePediNada