sábado, 4 de dezembro de 2010

Crítica: Kick Ass - Quebrando Tudo (Kick Ass, 2010)

Um mix de humor e pancadaria pesada, "Kick Ass" se firma como o filme mais "cool" do ano.

por Fernando Labanca

Baseado na HQ criada por Mark Millar em 2008, onde ele havia criado um herói possível, um cara como qualquer outro que decide fazer justiça com as próprias mãos e inventa situações interessantes e bastante criativas para transpor essa idéia no mundo atual, onde por exemplo, o "herói" fica famoso por um vídeo no "YouTube", entre outras coisas.

O cara em questão é Dave Lizewski (Aaron Johnson), um jovem nerd (é claro) viciado em história em quadrinhos e apaixonado por uma linda garota popular que nunca lhe dá atenção (Lyndsy Fonseca). Refletindo sobre o mundo atual e como a violência invadiu o cotidiano das pessoas, passa a se perguntar o porquê dos heróis que ele tanto admira nas páginas não existem de verdade, porque ninguém em nenhum lugar do mundo decidiu se manifestar e dar um basta. Pensando nisso, Dave decide fazer ele mesmo, compra uma fantasia pela internet, mascarado e com codinome "Kick-Ass" vai para as ruas da cidade fazer justiça. É espancado quase até a morte, vai para o hospital, é quando percebe que não ter poderes especiais poderá prejudicá-lo e tornar tudo mais difícil. Mas ele retorna, mais confiante, e em uma de suas brigas, surpreende a todos e vai parar no "YouTube" e passa a ter uma legião de fãs.

Não muito longe, Damon (Nicolas Cage) treina sua filha de 11 anos, Mindy (Chloe Grace Moretz), e neste treino envolve saber manusear armas e saber apanhar também. Tudo para lhe ensinar a força, e mais do que isso, lhe ensinar a não temer o que lhe virá pela frente. Damon é Big Daddy e Mindy é Hit Girl, e juntos tentam fazer vingança a um poderoso mafioso. Este mafioso é Frank D'Amico (Mark Strong) que por sua vez, percebe que há algo de errado com seus "negócios", onde muito de seus informantes estão sendo eliminados, é quando descobre que há um novo justiceiro na cidade, "Kick-Ass" e tem a certeza que ele é quem está estragando seus planos e para dar um fim nisso, ele conta com a ajude de seu filho, Chris (Christopher Mintz-Plasse), que se faz de herói, o "Red Mist", para chegar até Kick-Ass.


A direção é de Matthew Vaughn (Stardust), uma direção confiante e bastante segura, onde sabe trabalhar com competência toda a liberdade que o roteiro permite, de humor à muita violência, no melhor estilo Quentin Tarantino, com bastante pancadaria e muito sangue. Ainda há um toque de romance e drama para completar. Ou seja, um filme completo.

Definitivamente, um filme imperdível. O melhor de herói do ano, o que por outro lado, não se pode definir "Kick Ass" como apenas um filme de herói, o roteiro é bem abrangente, e por muitas vezes faz reflexões bastante interessantes sobre o mundo atual. Como adaptação também não sei opinar, mas como filme, é simplesmente um furacão que como o título sugere, quebra tudo. Surpreendente, desde as ótimas atuações, ao roteiro, as cenas de ação de muita qualidade e um fim bastante digno com toda a originalidade e criatividade que o filme expôs. Além de uma parte técnica impecável, desde a ótima trilha sonora, fotografia, pelas diversas locações e pelos efeitos especiais e sonoros.

Aaron Johnson surge como um ator promissor, convence com seu nerd justiceiro, é carismático e engraçado e se encaixou perfeitamente em Dave/ Kick Ass. Nicolas Cage finalmente fazendo um papel decente nos cinemas e se sai bem nas telas, assim como Mark Strong, que já está craque em interpretar vilões e caras mal-humorados (vide Reflexos da Inocência, Robin Hood e Sherlock Holmes) e portanto sabe como fazê-los muito bem, por outro lado, não surpreende em nenhum ponto, fazendo bem, mas o de sempre. Outro destaque vai para o eterno McLovin de Superbad, o ator Christopher Mintz-Plasse que me surpreendeu pois não conseguia imaginar ele fazendo outra coisa além de nerds estranhos como em seu primeiro filme, mas provou que sabe e muito bem. Mas quem rouba a cena, definitivamente, é Chloe Grace Moretz com uma das personagens mais interessantes do ano, Hit Girl. Com uma atuação digna de aplausos e boas críticas, a jovem atriz desponta com uma das grandes revelações do ano.

"Kick-Ass", o filme "cool" do ano. Ágil, divertido, inteligente e muito original, diferente de qualquer outra adaptação de herói já feita. Um dos melhores do ano! Recomendo.

NOTA: 10






































Um comentário:

  1. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHH...só por que eu ia começar a escreveeeerrr..que droga Fernando, vc é telepata por acaso????

    Eu escrevo sobre Scott Pilgrim então! :)

    ResponderExcluir

Deixe um comentário #NuncaTePediNada